Dilma diz que país vai superar crise ecônomica sem amargura ou ódio

Ela esteve no ceará entregando unidades do Minha Casa Minha Vida

Image title

Durante entrega de unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida, em Caucaia, no Ceará, nesta sexta-feira (28) , a presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou que não permitirá "retrocessos" democráticos e que o Brasil vai superar a crise econômica sem amargura ou ódio.

"Não vamos deixar haver retrocesso neste país. Nem que se refere aos programas e nem no que se refere à questão da democracia", disse a presidente, que foi recebida pela plateia aos gritos de "não vai ter golpe".

Em seu discurso, a presidente disse que o país passa por "dificuldades momentâneas", mas afirmou que o Brasil irá superá-las. "Temos a garra de superar nossas dificuldades. Mas tem uma característica especial do brasileiro. Nós superamos isso com muita esperança e muito amor no coração e com nadinha de amargura ou de ódio", afirmou.

A presidente disse ainda que o Brasil, assim como países vizinhos da América Latina, conseguiram superar as consequências de uma "história de golpes e ditaduras". "Nós todos sofremos as consequências de ter um país que não era democrático, que não respeitava as leis e que não deixava as pessoas dar sua opinião e manifestar sua opinião. Esse país conquistou sua democracia quando conquistou o direito de votar. Ao conquistar o direito de votar, nós mudamos a história do nosso país", disse.



  Sem citar a oposição, ela voltou a dizer que há setores da sociedade que apostam no "quanto pior, melhor". "Tem uma minoria que aposta sempre no quanto pior, melhor. É aquele pessoal que pesca em águas turvas. Que quando as águas são claras, nunca conseguem o que querem", disse.

Fonte: Agênica Brasil