Dilma Rousseff diz que os pessimistas criam expectativas "nocivas" ao país

Presidente citou críticas à inflação e rumores de "tarifaço" na energia elétrica

A presidente Dilma Rousseff, durante entrevista a uma rádio da Bahia na manhã desta quinta-feira (31), criticou aqueles que ela chamou de pessimistas, que torcem pelo "quanto pior melhor", e disse que eles estão criando expectativas negativas "extremamente nocivas" para o país.

Entre essas expectativas, a presidente citou avaliações de que a inflação vai ficar acima da meta neste ano e os rumores de um "tarifaço" no setor de energia elétrica, para compensar o uso das usinas térmicas. Na avaliação da presidente, nada disso vai acontecer.

"Há hoje, de forma deliberada, um processo de criação de expectativas negativas extremamente nocivas para o país, como fizeram na Copa [...] É o pessimismo sistemático instilado por aqueles que querem acabar com o o que se ganhou e querem voltar atrás com retrocessos", afirmou.

Sobre a inflação, Dilma disse que é normal que cresça no primeiro semestre e caia no segundo. Ela afirmou que a inflação vai ficar dentro da banda em 2014, entre o centro da meta, de 4,5% e o teto, de 6,5%.

"Falaram que ia haver um descontrole inflacionário. Aqui no Brasil é sempre assim. A inflação sobe no primeiro semestre e cai no segundo. A inflação está caindo e vai ficar direitinho dentro da banda, de 4,5 a 6,5%", disse.

Ela também falou sobre a possibilidade de "tarifaço" no setor de energia elétrica, que serviria para compensar o uso das usinas térmicas. A presidente atribuiu o acionamento das térmicas à seca em algumas regiões do país, que diminuiu a capacidade das hidrelétricas. No entanto, segundo a presidente, falar sobre "tarifaço" também é pessimismo.

" Agora inventaram que vai ter tarifaço. Falam que vai ter um tarifaço porque as térmicas foram acionadas. Não vai ter, não. É outra coisa que não vai ter", afirmou.

Fonte: G1