"Não se governa sem meter o bico em São Paulo", diz Dilma em comício de São Paulo

"Não se governa sem meter o bico em São Paulo", diz Dilma em comício de São Paulo

Segundo a organização do evento, a estimativa de participantes é de cinco mil pessoas.

A presidente da República Dilma Rousseff fez na noite desta segunda-feira um discurso justificando sua participação nas eleições municipais de SP. Questionando o tamanho da cidade, Dilma afirmou que não é possível governar o Brasil "sem meter o bico em São Paulo", ela revidou as críticas de sua entrada na campanha, feitas do candidato do PSDB, José Serra.

Dilma esteve no comício do candidato petista a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, no bairro de Guaianases, zona leste da cidade, acompanhada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do ministro da Educação Aloizio Mercadante, da ministra da Cultura Marta Suplicy e do presidente da Câmara, deputado federal Marco Maia (PT-SP).

Além de se justificar por participar das eleições na cidade, Dilma destacou a relação próxima com a cidade. Dizendo que morou na Avenida Celso Garcia e esteve presa no presídio Tiradentes na capital paulista. Dilma fez elogios a Haddad a quem classificou como "realizador de sonhos", falando especificamente do ProUNi.

A presidente também fez uma crítica velada aos adversários dizendo que "gostam de falar mal" e são "intolerantes", mas não especificou a quais se referia. Dilma saudou Lula como o maior presidente de todos os tempos, declarou que ninguém pode mudar isso. "Tem muita gente por ai que tenta, mas não há quem mude o fato que ele fez o melhor governo", disse ela. A mandatária finalizou seu discurso pedindo ao candidato petista no próximo domingo. "Ali na urna, votem em quem faz a diferença".

Segundo a organização do evento, a estimativa de participantes é de cinco mil pessoas.

Erros e acertos

Outro a se justificar em seus discursos foi Mercadante. Numa clara alusão ao julgamento do mensalão, o ministro destacou que a compra de votos, que é objeto de julgamento no Supremo Tribunal Federal, foi um erro menor perto dos acertos dos governos federais petistas. "Seguramente cometemos. Mas os erros foram menores que os acertos", declarou Mercadante.

Outra presença ilustre no palanque desta noite foi o Diretor de Seleções da CBF, Andrés Sanchez, declarou voto no candidato do PT. "Trouxemos um estádio para a zona leste, mas isso é só o começo. Com Fernando Haddad vamos mudar SP e o Brasil", declarou o corintiano.

Fonte: UOL