Dilma faz caminhada no centro de SP com Lula e Padilha

Antes de Dilma chegar já havia uma multidão no local com bandeiras e o jingle tocando.

A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, fez uma caminhada de meia hora no centro de São Paulo no início da tarde desta sexta-feira (3), ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dos candidatos a governador Alexandre Padilha (PT) e a senador Eduardo Suplicy (PT) e do prefeito Fernando Haddad (PT).


O ato reuniu milhares de pessoas. A caminhada saiu da Praça Ramos, em frente ao Teatro Municipal e percorreu Rua Barão de Itapetininga até a Praça da República. Essa é a segunda atividade de Dilma com Lula nesta semana. Na segunda-feira, os dois fizeram um comício em Campo Limpo. Foi o primeiro ato de campanha que reuniu Dilma, Lula e Padilha.

O ex-presidente intensificou a agenda nesta semana nos principais redutos petistas da cidade para tentar garantir o crescimento de Dilma na região e "salvar" a candidatura de Padilha, que ainda continua em terceiro lugar nas pesquisas, com apenas 11% das intenções de voto. Antes, também com Padilha, mas sem o ex-presidente, Dilma fez uma caminhada em São José dos Campos, no Vale do Paraíba.

Nesta primeira agenda, Dilma afirmou que sua campanha está prepara para o segundo turno. "Nos estamos contando com o segundo turno" afirmou, antes de participar de caminhada no centro de São José dia Campos. Sem poder discursar, por conta da lei eleitoral, os petistas apenas acenaram para os militantes e lojistas, pedestres e trabalhadores do centro.

Antes de Dilma chegar já havia uma multidão no local com bandeiras e o jingle tocando. Na Praça Ramos de Azevedo, no local onde estavam os jornalistas, foram atirados três ovos de um prédio, mas que não atingiu ninguém. No percurso, houve algumas manifestações isoladas de repúdio. Em um determinado momento, uma pedestre gritou "fora Dilma" e uma militante reagiu mandando ela "calar a boca". Além disso, de alguns prédios no centro algumas pessoas faziam gestos obscenos para a presidente.

Quase no final, a militância reagiu aos gritos de "coxinha" para um rapaz que fazia gestos contra a presidente. A maioria, no entanto, demonstrou apoio a petista e gritava o nome da presidente e os principais "gritos" da campanha como "Dilma lá, Padilha aqui é no Senado Eduardo Suplicy". muitos filmavam e tiravam fotos. A rejeição de Dilma em São Paulo é um dos maiores desafios na campanha. Após a caminhada, Dilma concederá uma entrevista coletiva em um hotel próximo da paulista.

Amanhã, está prevista uma caminhada em Belo Horizonte pela manhã e depois ela segue para Porto Alegre, onde também fará uma caminhada à tarde. A presidente votará na capital gaúcha no domingo. essas últimas agendas foram decididas há pouco e para isso Dilma cancelou a participação em uma caminhada que faria amanhã ao lado de Lula, em São Bernardo.

Fonte: Uol