Dilma: 'Há vários elementos de machismo no impeachment'

Dilma respondeu à senadora Regina Sousa (PT-PI), que citou o tema

A presidente afastada, Dilma Rousseff, afirmou ver um componente de machismo a motivar o processo de impeachment contra ela, ao responder uma pergunta durante a sessão de julgamento de seu impeachment, no Senado, na noite desta segunda-feira (29).

"Tem sempre um componente de misoginia e de preconceito contra as mulheres nas ações que ocorreram contra mim", afirmou Dilma, em resposta à senadora Regina Sousa (PT-PI), que citou o tema.

"O recado que estão dando nesse processo é também para todas as mulheres. Com o seu impedimento eles nos dizem: mulher não pode", disse a senadora.

Dilma citou como exemplo do machismo contra ela o costume de adjetivarem seu estilo de gestão como o de uma "mulher dura" ou o seu oposto, de ser "sensível" e estar abalada pelo processo no Senado.

"Eu fui descrita como uma mulher dura, e sempre disse que era uma mulher dura no meio de homens meiguíssimos", disse Dilma em tom irônico. "Eu nunca vi ninguém acusar um homem de ser duro, e a gente sabe que eles são", afirmou.

"Muitas vezes disseram para mim: mas você é sensível. Esta afirmação é estarrecedora, porque significa que conseguiram construir em torno de mim um nível de desumanização muito alto", disse a presidente


Ao encerrar sua participação no julgamento de seu processo de impeachment após mais de 12 horas no plenário do Senado, a presidente afastada, Dilma Rousseff, pediu que os senadores tenham "consciência" na hora de decidir sobre seu afastamento. "É muito grave afastar uma presidenta da República sem crimes de responsabilidade, mesmo que o impeachment esteja previsto na Constituição", disse Dilma, dizendo que seu impeachment seria grave mesmo que não seja igual ao golpe militar de 1964. "Não é possível supor que, quando se faz exceções e se tira um presidente eleito sem crime, este ferimento será muito difícil de ser curado. Eu peço que tenham consciência na hora de avaliar esse processo."

Dilma Rousseff (Crédito: Agência Senado)
Dilma Rousseff (Crédito: Agência Senado)


DISCURSO

Ao iniciar sua fala, Dilma fez um discurso de quase 50 minutos na manhã desta segunda-feira, em que se disse injustiçada e chamou o processo de impeachment de "golpe". Em seguida, ela passou a responder a perguntas dos 51 senadores que se inscreveram para fazer questionamentos.


Dilma Rousseff (Crédito: Agência Senado)
Dilma Rousseff (Crédito: Agência Senado)


Fonte: Uol