Dilma diz que violência contra mulher envergonha sociedade

Dilma diz que violência contra mulher envergonha sociedade

Ela disse que sociedade brasileira é "sexista e preconceituosa".


Dilma lembra o Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher

Ao celebrar nesta segunda-feira (25) no microblog Twitter o Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a sociedade brasileira ainda é "sexista e preconceituosa". Segundo a chefe do Executivo, a violência contra as mulheres "envergonha" o país.

?A violência contra a mulher envergonha uma sociedade que, infelizmente, ainda é sexista e preconceituosa?, escreveu a presidente no microblog. ?É uma forma de preconceito do ?mais forte? contra a mulher apenas pelo fato de ser mulher?, completou.

Dilma aproveitou as mensagens sobre a data comemorativa para destacar o programa federal ?Casa da Mulher?, que reúne em um mesmo local delegacias especializadas no atendimento ao sexo feminino, Ministério Público, Defensoria Pública e Judiciário.

Na rede social, a presidente afirmou que as Casas da Mulher são o caminho para garantir um combate "permanente e sistemático" à violência praticada contra as mulheres.

O dia 25 de novembro ficou mundialmente conhecido como o Dia da Não Violência contra a Mulher. A data homenageia três irmãs ativistas, Pátria, Minerva e Maria Teresa Mibal, que foram assassinadas, em 1961, pela ditadura de Leonidas Trujilo (1930-1961), na República Dominicana.

?Las Mariposas?, codinome utilizado em atividades clandestinas, lutavam pela melhoria das condições de seu país, principalmente, em questões de direitos humanos. As irmãs também acreditavam que o ditador levaria o país ao caos econômico e, então, formaram um grupo de oposição ao regime. Em 1999, a Organizãção das Nações Unidas (ONU) oficializou a data.

No Twitter, Dilma citou a luta das mulheres brasileiras. "Graças às lutas das mulheres, o Brasil está mudando. A Lei Maria da Penha foi o alicerce do combate à violência contra as mulheres", escreveu.

Fonte: G1