Dilma Rousseffão deverá viajar aos Estados Unidos em outubro

Dilma Rousseffão deverá viajar aos Estados Unidos em outubro

Governo brasileiro espera um posicionamento mais firme do governo americano, diz auxiliar próximo da presidente

O porta voz da Presidência, Thomas Traumann, informou neste sábado que a decisão sobre a visita de Estado da presidente aos Estados Unidos só será tomada após encontro de Dilma Rousseff com o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, que se reuniu com autoridades americanas para tratar da espionagem dos brasileiros. A informação foi publicada no Blog do Planalto.

Segundo informação confirmada ao GLOBO por um auxiliar direto da presidente Dilma, a presidente não deverá viajar aos EUA, no dia 23 de outubro, para encontrar o presidente Barack Obama, conforme programado anteriormente, se Washington não der uma resposta mais firme em relação ao caso de espionagem no Brasil, revelado recentemente. A informação foi confirmada . A própria comunicação pessoal da presidente foi espionada, segundo as denúncias baseadas em documentos vazados pelo ex-prestador de serviços da NSA Edward Snowden, que está atualmente em asilo na Rússia.

Segundo esse auxilar, a viagem aos Estados dependerá de um novo posicionamento do governo americano em relação ao caso.

? A decisão de não viajar foi tomada na sexta em Brasília. Se não houver um posicionamento mais firme do governo sobre o caso, a presidente não viajará ? disse o interlocutor da presidente.

Segundo esse auxilar, o governo americano já entendeu o descontentamento da presidente brasileira e trabalha com a hipótese de adiar o encontro entre Dilma Roussef e Barack Obama.

A maior preocupação do governo brasileiro é ser pego de surpresa com novos vazamentos de informações às vésperas da viagem, o que traria mais constrangimento para o o governo brasileiro em relação ao caso.

? É uma decisão difícil, mas que diz respeito à soberania brasileira ? disse o interlocutor.

Embora o Brasil seja apenas um dos vários alvos apontados da espionagem americana, as revelações aqui foram especialmente polêmicas por causa da desconfiança de longa data em relação às atividades das agências de espionagem dos Estados Unidos e de uma reportagem que afirmou que as comunicações privadas de Dilma foram comprometidas.

Fonte: O Globo