Dilma nega pressão para que Ciro desista de candidatura

O governador do Ceará não compareceu a nenhum evento público com Dilma

A pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, fez questão de ir hoje cedo à residência oficial onde mora o governador do Ceará, Cid Gomes, e externar seu apoio a reeleição dele. Cid é irmão do deputado Ciro Gomes, que insiste em lançar sua candidatura pelo PSB. A petista negou qualquer pressão para que Ciro desista da candidatura.

Em diversas ocasiões no Ceará, Dilma disse que Ciro tem todas as credenciais para disputar o quiser e que ela não será empecilho. "Eu não me incluo entre pessoas que de alguma forma tenham pressionado ele. Acho que a decisão é estrita dele. E vou repetir: ele tem todas as condições para pleitear seja o que seja no País. Ele tem legitimidade pra isso", afirmou a petista em entrevista à Rádio Verdes Mares.

O governador do Ceará não compareceu a nenhum evento público com Dilma. Alegou problemas pessoais e não entrou em detalhes.

Vestida de azul, Dilma circulou bem à vontade. Ela foi cumprimentada pelo ex-governador do Ceará, Lúcio Alcântara, ex-tucano que rompeu com o grupo de Tasso Jereissati, e migrou para o PR. A petista aproveitou sua passagem pelo Ceará para anunciar que seus candidatos ao Senado no Estado são Eunício de Oliveira (PMDB), que já foi ministro das Comunicações no primeiro governo Lula, e José Pimentel, que deixou recentemente a Previdência.

Como amigo de Tasso, Cid Gomes quer tê-lo em seu palanque em detrimento a Pimentel. Dilma minimizou essa questão e garantiu tratar-se de algo local e que por ela não haveria problema. "Nas questões locais, nós não vamos interferir. São questões locais. Isso é normal do Brasil inteiro", disse.

Em seguida, queixou-se de estarem polemizando sobre as viagens que ela faz pelo País. "Acho que há um intuito por trás disso. E o intuito é que eu fique sem viajar. Podem ter certeza que eu vou viajar o Brasil inteiro. Podem ter certeza disso", avisou.

Dilma foi questionada se Ciro, ao forçar uma candidatura própria, estaria à serviço do PSDB. "De maneira alguma. Eu não acredito. Acho que o Ciro Gomes não faz esse papel. O Ciro Gomes está a serviço do partido dele e das convicções dele. Ele não é uma pessoa para ter atitudes menores. Tenho certeza que ele está a serviço do Brasil", enfatizou.

A ex-ministra da Casa Civil garantiu que, mesmo sendo Ciro seu concorrente, eles estarão juntos em outras oportunidades. "O fato de a gente ter uma posição distinta nesse momento não implica em que não estejamos juntos", enfatizou Dilma.

Fonte: Yahoo