Dilma: ‘Passou de todos os limites a seleção clara de vazamento’

Fala ocorre após deleação do ex-presidente da Andrade Gutierrez.

A presidente Dilma Rousseff, durante um ato de "mulheres em defesa da democracia" no Palácio do Planalto, em Brasília, voltou a criticar o que classificou como "grampos seletivos". Em um discurso direcionado à plateia feminina, a chefe do executivo ainda pediu que o Ministério da Justiça investigue e tome medidas após vazamentos de informações sobre investigações em curso.

"Nós poderemos ter nos próximos dias muitos vazamentos oportunistas e seletivos. Eu determinei ao ministro da Justiça a rigorosa apuração de responsabilidade por vazamentos recentes, bem como tomar todas as medidas judiciais cabíveis. Passou de todos os limites a seleção muito clara de vazamento em nosso país", declarou Dilma.

Criticas da presidente ocorrem após delação do ex-presidente da Andrade Gutierrez que ganhou destaque nos últimos dias. Dilma também falou sobre a reportagem da revista “Istoé” que em sua última edição, trouxe uma matéria dizendo que a presidente está à beira de um ataque de nervos. 

"É muito interessante notar que em relação à pressão há duas hipóteses que eles levantam contra mim. A primeira é que eu sou autista. Autista porque eu não reajo à pressão perdendo o controle. A segunda hipótese é essa que a revista levantou: que eu reajo com descontrole. Então a mulher só tem duas hipóteses: ou ela é autista ou ela é descontrolada. Acho que é um desconhecimento imenso da capacidade da mulher resistir à pressão, às dificuldades, às dores, enfrentar os desafios", acrescentou. 

Dilma Rousseff, durante um ato de "mulheres em defesa da democracia" no Palácio do Planalto
Dilma Rousseff durante ato de "mulheres em defesa da democracia" no Palácio do Planalto


Fonte: Com informações do OGlobo