Dilma quer ajuda de Michel Temer para abafar crise e durante sua campanha

Dilma quer ajuda de Michel Temer para abafar crise e durante sua campanha

Presidente convoca o cacique peemedebista e o incumbirá da missão de controlar os rebeldes comandados por Eduardo Cunha

A presidente Dilma Rousseff convidou o vice-presidente Michel Temer a uma reunião no Palácio da Alvorada amanhã à tarde para dizer que o partido é fundamental ao governo e essencial na campanha pela reeleição em outubro. Apesar da declaração de fidelidade, ela deixará claro que não aceita que o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), continue em evidência no debate, criticando o PT e o governo, como tem feito nos últimos dias por meio de redes sociais.

Para testar a sinceridade de Dilma, o PMDB quer que a reunião seja aberta aos presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o presidente em exercício do partido, senador Valdir Raupp (RO). O desejo da petista, por enquanto, é que seja uma conversa a sós. Dilma sempre delegou a Temer a missão de controlar o PMDB. Não deve ser diferente desta vez.

Os peemedebistas consideram um erro a estratégia do Planalto de tentar isolar Eduardo Cunha, como se ele fosse uma voz destoante no partido, e não o catalisador de uma insatisfação crescente entre os correligionários. Ontem, por meio de uma rede social, o líder peemedebista se autodenominou de ?bombeiro? na crise, acrescentando que, sem ele, o desastre seria bem maior.

A presidente detesta pessoas que a confrontem diretamente, no estilo ?faca no pescoço?. Sabendo disso, os caciques do PMDB insuflaram a postura de Cunha, que sempre demonstrou ser alguém sem papas na língua, para reverberar as queixas dos deputados e tentar barganhar mais espaço, tanto na Esplanada quanto nos palanques estaduais.

Fonte: Correio Braziliense