Dilma anuncia ianvestimentos em modalidades olímpicas individuais

Governo vai anunciar em agosto um novo plano para apoiar a preparação dos atletas para 2016

O programa de incentivo ao esporte olímpico que será anunciado pelo governo após os Jogos de Londres, com a expectativa de um volume inédito de recursos destinados à preparação de atletas, vai ter como foco modalidades esportivas individuais que distribuem mais medalhas.

Com tradição de conquistas nos esportes coletivos, que contam como apenas uma medalha para o time, o Brasil fica muito longe das potências olímpicas nas modalidades que distribuem mais medalhas nos Jogos, como tiro esportivo, esgrima, natação, atletismo, ginástica e luta olímpica, por exemplo.

Diante da responsabilidade de sediar a Olimpíada posterior aos Jogos de 2012, e da cobrança por resultados sempre existente sobre o país sede, o Brasil vai anunciar em agosto um novo plano para apoiar a preparação dos atletas para 2016.

O anúncio será feito pela presidente Dilma Rousseff após o encerramento dos Jogos de Londres, que começam nesta sexta-feira e vão até 12 de agosto.

Dilma, que está na capital britânica para a cerimônia de abertura olímpica e que almoçou nesta sexta-feira com atletas brasileiros que vão disputar os Jogos, disse que o objetivo em 2016 é aumentar o número de medalhas nos esportes individuais.

"Acho que o Brasil vai ter de fazer um esforço para ampliar sua presença em esportes individuais", disse a presidente, em entrevista à imprensa brasileira no hotel onde está hospedada em Londres, antes de visitar o centro de treinamento dos atletas brasileiros, no sul da cidade.

"O Brasil é muito forte hoje nos jogos coletivos, somos bons em futebol, vôlei, basquete e handebol. Sempre nos esportes coletivos a gente leva medalha, mas acontece que apesar de ser um time completo, você ganha uma medalha, e tem esportes individuais que são mais medalhados", afirmou.

O Brasil tem histórico de bons resultados olímpicos em modalidades individuais apenas na vela e no judô. No atletismo e na natação, no entanto, com mais medalhas em disputa, o país tem somente cinco medalhas de ouro na história, somando as duas modalidades.

O vôlei, na praia e na quadra, deve superar a vela e se tornar o esporte com mais medalhas olímpicas na Olimpíada de Londres.

Além do investimento no esporte de alto nível, a presidente defendeu o incentivo ao esporte escolar para promover a formação de novos atletas e citou um programa lançado recentemente pelo governo federal para construir quadras esportivas e cobrir algumas já existentes como forma de levar mais crianças para o esporte.

Segundo Dilma, a realização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada dois anos depois vão ser importantes também para promover a prática esportiva entre os jovens brasileiros.

"A Olimpíada e a Copa do Mundo, que são os dois eventos que o Brasil vai realizar, tem um papel não só importante do ponto de vista econômico, mas sobretudo como uma forma de ampliar no Brasil a presença do esporte nas faixas da população que vão garantir a medalha de hoje e a medalha do futuro."

Sobre o aprendizado que o Rio de Janeiro pode ter com Londres sobre a organização dos Jogos, Dilma destacou a importância de se deixar um legado na cidade para a população após o fim dos eventos.

"Aquilo que você usa para fazer uma grande Olimpíada pode ser usado para transformar essa grande Olimpíada em algo que o povo daquele país recebeu a Olimpíada possa usufruir."

Fonte: G1