Dilma Rousseff defende Petrobras e diz que estatal 'limpou o que tinha que limpar'

No discurso, ao defender a Petrobras, a presidente afirmou que a estatal "continua de pé" e citou a extração "em tempo recorde" de 700 mil barris diários do petróleo do pré-sal


A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (9) durante evento em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que, se a Seleção Brasileira é a "pátria de chuteiras", como dizia o jornalista e escritor Nelson Rodrigues, a Petrobras é a "pátria de macacão e mão sujas de óleo".

Dilma participou na manhã desta quinta de cerimônia de entrega de 500 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, na cidade da Baixada Fluminense. Ao ser anunciada no evento, ela foi ovacionada pela plateia, formada por beneficiários do programa.

Alvo de um esquema de corrupção que cobrava propina de fornecedores, a Petrobras perdeu valor de mercado desde que as denúncias vieram à tona no ano passado. As suspeitas de irregularidades provocaram a troca da cúpula da empresa e motivaram fundos de investimentos dos Estados Unidos e da Europa a ingressarem na Justiça para reivindicar indenizações em razão de supostos prejuízos causados aos investidores da Petrobras. Somente nos Estados Unidos já foram registradas pelo menos 11 ações coletivas contra a estatal. "Tem um conjunto de cidadãos que sabe que ela [Petrobras] é um dos maiores orgulhos nossos e, se a Seleção é a pátria de chuteiras, como dizia um saudoso fluminense, a Petrobras, de macacão, é também a pátria de macacão e mãos sujas de óleo", disse a presidente.

Na segunda (6), Dilma afirmou durante a posse do novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, que a "luta" para recuperar a Petrobras "está em curso" e é do atual governo. Na semana passada, em entrevista à agência de notícias Bloomberg, ela declarou que a estatal brasileira "está ultrapassando os desafios de governança". Antes de o evento desta quinta começar, cinco pessoas que se dizem ex-funcionárias do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) estiveram no local da cerimônia com faixas, cartazes e camisetas com a frase "SOS Emprego". Momentos antes do início do , eles foram autorizados a entrar, mas sem os cartazes e as faixas.

No discurso, ao defender a Petrobras, a presidente afirmou que a estatal "continua de pé" e citou a extração "em tempo recorde" de 700 mil barris diários do petróleo do pré-sal. Sem citar nomes, Dilma disse que pessoas que se aproveitaram de seus cargos na Petrobras para enriquecer "os próprios bolsos", mas a estatal "limpou o que tinha de limpar". Ela disse que a empresa "já deu a volta por cima".

"A Petrobras limpou o que tinha de limpar, tirou aqueles que tinha de tirar de lá de dentro e que se aproveitaram de suas posições para enriquecer os próprios bolsos. Mas a Petrobras continua de pé. E mais, vocês podem ter certeza de uma coisa, podem ter certeza: esta empresa não só já deu a volta por cima, como ela, hoje, mostrou a que veio. A Petrobras bate todos os recordes", disse.

As ações preferenciais (PN) da Petrobras chegaram a R$ 11,56, o maior valor desde 5 de dezembro, com fecharam em alta de 9,06%. As ordinárias subiram 9,28%, nas maiores altas dos papéis desde 3 de fevereiro.



Fonte: G1