Dilma Rousseff  se emociona no aeroporto do Galeão ao falar do Samba do Avião e dos exilados

Dilma Rousseff se emociona no aeroporto do Galeão ao falar do Samba do Avião e dos exilados

Ao falar da música de Jobim, que retrata a chegada ao Rio de avião, a presidente lembrou dos exilados políticos da ditadura.

A presidente Dilma Rousseff se emocionou nesta quarta-feira (2) no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, ao citar o Samba do Avião, de Tom Jobim. Dilma participou de assinatura da concessão do aeroporto. Ao falar da música de Jobim, que retrata a chegada ao Rio de avião, a presidente lembrou dos exilados políticos da ditadura.

"O Samba do Avião descreve a chegada ao Brasil, em especial ao Galeão, dos brasileiros que voltavam ao Brasil, após a anistia [...] É uma síntese perfeita do que é a saudade do Brasil, a lembrança do Brasil, e melhor de tudo, voltar ao Brasil chegando ao Galeão", disse a presidente.

Nesse momento, os olhos de Dilma marejaram, sua voz ficou embargada e ela teve de interromper o discurso para tomar água. "Desculpem a emoção, mas de fato eu tenho certeza, em uma homenagem aos exilados, que as almas cantaram".

Dilma Rousseff foi guerrilheira durante a ditadura e lutou no combate ao regime. Na época, a presidente chegou a ser presa e torturada pelos militares.

Ela recitou três trechos da música. O primeiro foi: "Minha alma canta / Vejo o Rio de Janeiro /Estou morrendo de saudades". O segundo foi: "Rio de sol, de céu, de mar / Dentro de mais um minuto estaremos no Galeão". E o terceiro foi: "Aperte o cinto, vamos chegar/ Água brilhando, olha a pista chegando E vamos nós / Pousar".

Concessão

O consórcio Aeroporto do Futuro, formado pelas empresas Odebrechet e Changi, assumirão a administração por 25 anos, prorrogáveis por até mais cinco. O leilão foi feito em novembro de 2013, e o grupo o arrematou em um lance de R$ 19 bilhões.


Dilma se emociona no Galeão ao falar do Samba do Avião e exilad

Fonte: G1