Diretor do FMI diz que Lula tornou Brasil, grande jogador mundial

Dominique Strauss-Kahn, reconheceu o presidente Lula como lider mundial

Em entrevista coletiva de encerramento do encontro da primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Mundial, neste domingo, o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, reconheceu o presidente Luís Inácio Lula da Silva como o principal fator para o País ter se tornado "um grande jogador do cenário mundial".

Apesar de concordar que a instituição precisa rever seu sistema de cotas, Strauss-Kahn afirmou que "o Brasil é ouvido independente do número de cotas, pois conquistou este direito graças à sua atuação mundial sob a liderança de seu presidente".

O presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, disse que, apesar de o Brasil e outros países emergentes já serem ouvidos pela instituição, é preciso haver uma reforma no sistema de cotas. "Está na hora de a China e outros países emergentes serem plenamente representados", declarou Zoellick.

No sábado, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse a jornalistas, na sede do FMI, que o Brasil somente ofereceria um aporte ao FMI se houvesse uma reforma adequada da estrutura da organização. O Brasil é um dos 185 membros da instituição e conta, desde 2008, com 1,8% das cotas

Fonte: AE