Discurso de Obama de incentivo ao estudo gera polêmica nos EUA

Obama irá a uma escola do Estado da Virgínia, perto de Washington, falar com alunos

 O discurso que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pronunciará na terça-feira (8), começo do ano letivo americano, está sendo atacado por opositores republicanos, que o acusam de perseguir uma agenda política.

Obama irá a uma escola do Estado da Virgínia, perto de Washington, falar com alunos em um pronunciamento que será transmitido ao vivo através da site da Casa Branca. O objetivo de Obama é, segundo a Casa Branca, encorajar os mais jovens a continuar seus estudos e a buscar uma educação superior, mas alguns conservadores dizem que o evento tem teor político, e sustentam que o presidente quer doutrinar os jovens.

A controvérsia fez com que diversas escolas em diferentes Estados do país, como Texas, Illinois, Minnesota, Missouri, Virgínia e Wisconsin, tenham decidido não mostrar o discurso a seus estudantes. Outras ainda estão considerando o que fazer, e deram a opção aos pais de decidir se querem que os filhos o assistam ou não.

"No que se refere a mim, não se trata de educação cívica, mas aparenta um culto à personalidade", disse aos meios de comunicação, nesta semana, o senador Steve Russell, de Oklahoma. "Isto é algo que se espera ver na Coreia do Norte ou no Iraque de Saddam Hussein", completou. Os críticos conseguiram fazer com que a Casa Branca mudasse alguns pontos do discurso, entre eles uma "tarefa" que o presidente pediria às crianças, para que "escrevessem cartas dirigidas a si mesmos perguntando o que poderiam fazer para ajudar o presidente".

Após a revisão, o texto agora pede que escrevam "cartas dirigidas a si mesmos sobre como podem alcançar seus objetivos educativos a curto e médio prazo". A Casa Branca planeja colocar o discurso na íntegra em seu site, na segunda-feira (7), para que os pais possam lê-lo antes.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br