Diversos tumores foram retirados durante cirurgia de Alencar, diz médico

Presidente em exercício passa por sua 14ª cirurgia em São Paulo

O vice-presidente, José Alencar, teve “diversos tumores retirados” durante a cirurgia a que se submete nesta quinta-feira (9), no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

A informação foi divulgada às 19h pelo médico oncologista Paulo Hoff. "Até agora, a cirurgia foi muito bem e acredito que estamos alcançando o objetivo de melhorar a obstrução", disse o oncologista. Alencar, que é presidente em exercício enquanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estiver na Europa, passa pela intervenção para desobstruir uma das alças do intestino delgado. Durante a cirurgia, no entanto, foi encotnrada mais de uma obstrução, segundo o médico. Hoff afirmou que as informações são preliminares e que a cirurgia ainda está em andamento. De acordo com o médico, a cirurgia, que começou por volta das 13h, deve acabar antes das 20h.

O médico afirmou que esta não é uma cirurgia “para tratamento dos tumores”, mas para resolver um problema “agudo”, para que Alencar possa retomar suas atividades normais. “Os [tumores] que foram removidos é porque estavam de acesso fácil, mas não era objetivo”, disse. Hoff disse que a demora da cirurgia se dá pelo alto número de tumores – 18 – e pelo número de cirurgias a que Alencar já se submeteu, que dificultam o acesso no abdome. “Isso é relativamente comum para alguém que tem número de tumores”, disse. "Todos nós lembramos que o vice-presidente já sofreu número muito grande de cirurgias.

Quando isso acontece a cavidade abdominal se torna de difícil acesso." O oncologista falou que todas as informações colhidas na cirurgia serão enviadas à equipe que atende Alencar nos Estados Unidos. Otimismo O chefe de gabinete da Vice-Presidência da República e assessor do vice-presidente José Alencar, Adriano Silva, afirmou nesta que Alencar estava "otimista, bem humorado e sorrindo bastante" antes da cirurgia. "Ele estava contando "causos", afirmou Silva.

O objetivo da intervenção é desobstruir uma das alças do intestino delgado de Alencar. Segundo o assessor, Alencar está no hospital acompanhado da esposa, Marisa, e do filho. Ele afirmou que duas outras filhas do vice-presidente devem chegar ainda nesta quinta ao hospital. Antes do início da cirurgia, o presidente em exercício conversou por telefone com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está na Europa para a reunião do G8. Silva não soube precisar o conteúdo da conversa. Sem dores Ainda de acordo com o assessor, Alencar já não sentia dores desde quarta-feira.

Mesmo assim, o próprio vice-presidente optou pela cirurgia - a 14ª a que ele se submete. A operação começou por volta das 13h10 desta quinta-feira. Mais cedo, o médico Roberto Kalil Filho, da equipe responsável pelos cuidados ao vice-presidente, disse que, ao ser encaminhado ao centro cirúrgico do hospital, a avaliação dos médicos sobre o estado de Alencar era positiva. "Ele está bem, está bem", afirmou. Boletim médico Na tarde desta quinta, o hospital Sírio Libanês divulgou o primeiro boletim do dia sobre o estado de saúde do vice-presidente.

Em comunicado, assinado pelos médicos Antonio Carlos Onofre de Lira e Riad Younes, o hospital informa que "após avaliar a evolução do caso, as equipes que tratam o paciente decidiram que a melhor conduta seria a cirúrgica". O boletim informa ainda que o vice-presidente tem realizado exames e tratamento conservador desde que foi internado na quarta, com quadro de "suboclusão intestinal".

Ainda de acordo com o boletim, os médicos Raul Cutait e Ademar Lopes realizam a cirurgia.

Fonte: g1, www.g1.com.br