"Ele tem sido um bom paciente", diz médico sobre ex-presidente Lula

Lula deverá passar por reavaliação na próxima semana



Um dos médicos responsáveis pelo tratamento contra o câncer do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o oncologista Paulo Hoff afirmou nesta sexta-feira (9), que Lula tem sido "um bom paciente". Hoff esteve em Brasília para o lançamento do livro de sua autoria "Como Superar um Câncer", na sede do Hospital Sírio-Libanês, na capital federal.

"Ele [Lula] tem se cuidado. Ele tem sido um bom paciente. É um bom paciente", afirmou o médico.

Segundo Hoff, o ex-presidente passará por uma reavaliação do tratamento na próxima semana, onde serão definidos os próximos passos do tratamento contra a doença. Lula já está no período que os médicos chamam de segunda fase do tratamento contra o câncer.

"Esta semana devemos fazer uma reavaliação. Certamente vocês vão ficar sabendo dos resultados, e aí nós vamos determinar os próximos passos. A ideia inicial era nós fazermos período de quimioteraía e seguir com a radioterapia depois", disse o médico.

Segundo Hoff, embora tenha recebido um diagnóstico difícil, Lula não deixou de ser "brincalhão".

"Eu acho que ninguém gosta de receber este diagnóstico, mas dentro do possível ele [Lula] está tolerando bem as informações. Não deixou de ser brincalhão, inclusive com os médicos", disse Hoff.

Em seu livro, Paulo Hoff traz dicas para pacientes e familiares de como tratar com a doença, desde o período do em que a deoença é descoberta até o período do tratamento. Na análise do médico, embora o câncer seja de difícil cura, é possível levar uma vida com qualidade.

"Eu acho que hoje em dia o câncer é uma doença que muitas vezes é curável, e mesmo quando isso não é possível, existe sim a possibilidade de uma vida com qualidade, e muitas vezes por um período prolongado. um dos problemas do câncer é sem dúvida todo o mistério que existe por trás da doença. Afinal de contas, ninguém quer ter essa doença, mas ela infelizmente se tornou parte do nosso dia a dia", disse o médico.

Fonte: G1