"Ele vai morrer de infarto", diz Lula sobre "agressividade" de Serra

"Ele vai morrer de infarto", diz Lula sobre "agressividade" de Serra

"Ele tem quase a minha idade um pouco mais velho , e está muito agressivo", disse Lula.

Ao participar de um ato de campanha do petista Fernando Haddad em São Paulo neste sábado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não poupou críticas ao tucano José Serra. "Tem um candidato que foi prefeito e que na primeira chuva de verão correu. Ele tem quase a minha idade um pouco mais velho ,e está muito agressivo. Ele vai morrer de infarto se ficar muito agressivo", afirmou Lula ao mandar um recado para Serra: "Eu só ganhei eleição quando fiquei calmo".

Ao pedir voto para o seu ex-ministro da Educação, Lula ainda destacou que faria um discurso curto por causa do problema na voz decorrente do tratamento contra o câncer. "Eu não sei se a minha garganta vai aguentar falar muito depois do problema que tive com o câncer. Mas se minha garganta permitir fazer um discurso de um minuto por dia pelo Haddad, eu farei", disse.

Ao contrário de Lula, que concentrou suas críticas no candidato tucano, a nova ministra da Cultura, Marta Suplicy, aproveitou o comício no Capão Redondo para criticar o líder nas últimas pesquisas de intenção de voto, Celso Russomanno (PRB). "É um lobo em pele de cordeiro, que faz comércio com a desculpa de ajudar o povo. Algumas pessoas ele até ajuda, outros são apenas usados. São Paulo não pode ter uma pessoa desse tipo como prefeito da cidade", criticou.

Sobre Serra, Marta se referiu apenas como o político que "passou pela prefeitura e deixou em seu lugar um preposto", em referência a Gilberto Kassab (PSD). O atual prefeito da capital também mereceu críticas quando Fernando Haddad assumiu o microfone: "é um prefeito de meio-período, na outra metade fica fazendo política", afirmou o petista ao prometer acabar com a taxa cobrada pela Controlar, empresa responsável pela inspeção veicular ambiental na cidade.

Sobre Serra, Haddad disse que ele está nervoso com os resultados das pesquisas que apontam alta rejeição. "Nós já conhecemos o estilo dele. A Dilma comeu o pão que o diabo amaçou com esse homem na campanha", argumentou ao fazer referência à disputa pela Presidência da República em 2010.

Fonte: Terra