Eleição indireta para governador acontece neste domingo no TO

Eleição indireta para governador acontece neste domingo no TO

Oito candidatos concorrem ao cargo em votação no plenário da AL. Os pedidos de impugnação de duas candidaturas foram rejeitados.

Acontece neste domingo (4), a partir das 10h, no plenário da Assembleia Legislativa, a eleição indireta para a escolha do governador e vice-governador do Tocantins. Nove chapas registraram candidatura, mas oito concorrem ao cargo após o registro da vereadora de Natividade, Izabela Suarte (PPL), ser impugnado por causa de um atraso de poucos minutos.

Os pedidos de impugnação das candidaturas de Sandoval Cardoso (SDD) e Eli Borges (PROS) foram rejeitados pela Mesa Diretora conforme publicação no Diário Oficial da AL neste sábado (3). O argumento era de que os dois candidatos não teriam respeitado o prazo de filiação mínimo, de um ano, necessário para se candidatar a cargos eletivos. Mas a Mesa Diretora entendeu que este prazo só é válido para as eleições ordinárias, realizadas pela via direta. Como a eleição deste domingo é indireta, a mesa decidiu que a regra não se aplica.

Durante a eleição, o voto de cada deputado será divulgado de pé e em voz alta. Pela regra, se um dos candidatos receber a maioria dos votos possíveis, na primeira votação, será eleito e, caso ninguém atinja a maioria absoluta, vence quem tiver mais votos dos deputados presentes no plenário na segunda votação e, em caso de empate, o candidato mais velho será eleito governador.

Candidatos

Adail Pereira (PSDC), 47 anos, é professor de Ensino Superior e natural de Ponte Alta do Tocantins (TO). Nunca exerceu cargo político.

Eli Borges (PROS), de 54 anos, é formado em contabilidade e natural de Ipameri (GO). Ele é deputado estadual, eleito pelo terceiro mandato consecutivo, em 2002, 2006 e 2010. Eli Borges também foi vereador eleito de Palmas por três mandatos consecutivos.

Fábio Ribeiro (PSOL), de 36 anos, é construtor, comerciante e natural de Palotina (PR). Atualmente é presidente do diretório municipal do partido em Palmas. Nunca exerceu cargo político.

José Augusto Pugliese (PMDB), de 56 anos, é engenheiro agrônomo e natural de Goiânia (GO). Atualmente exerce mandato de deputado estadual pela quarta vez. Pugliese já havia ocupado uma cadeira entre 1999 e 2006, voltou à Assembleia Legislativa em 2010.

Marcello Lelis (PV), de 43 anos, é técnico em paisagismo e natural de Inhumas (GO). Ocupa, pela segundo mandato consecutivo, o cargo de deputado estadual do Tocantins. Marcelo Lelis também foi vereador em 2005, quando iniciou a carreira.

Nuir Júnior (PMN), 42 anos, é natural de Crixás (GO). Trabalha como servidor público na Assembleia Legislativa, nunca ocupou cargos políticos, mas é presidente estadual do PMN.

Paulo Mourão, de 58 anos, é engenheiro agrônomo, empresário e natural de Cristalândia (TO). Começou a vida política em 1988 quando foi eleito ao cargo de deputado federal. No total, foi eleito ao cargo por quatro vezes consecutivas. Em 2004 Paulo Mourão foi eleito prefeito de Porto Nacional.

Sandoval Cardoso (SDD), de 37 anos, é agropecuarista e natural de Goiânia (GO). Ocupa o cargo de governador interino do Tocantins desde 4 de abril, quando aconteceu a renúncia do então governador Siqueira Campos. Em 2006 elegeu-se deputado estadual para o primeiro mandato. Em 2010 foi reeleito para o segundo mandato e ocupou o cargo de presidente da Assembleia Legislativa.

Eleição

A realização da eleição indireta acontece em função da renúncia do ex-governador José Wilson Siqueira Campos (PSDB). No dia 4 de abril, Siqueira se afastou do governo para que o filho dele, Eduardo Siqueira Campos (PTB), possa se candidatar ao comando do executivo nas eleições de outubro. Desde então, Sandoval Cardoso, que estava à frente da presidência da AL, assumiu como governador interino do estado.

A votação acontece no plenário da AL, às 10h. Votam 23 dos deputados estaduais do Tocantins. Como Sandoval está no cargo de governador interino, ele não deve votar. Esta é a terceira vez que uma eleição indireta acontece no estado. A primeira foi em 1988, no momento da divisão do estado, e elegeu Siqueira Campos, na época filiado ao PDC e a segunda, foi em setembro de 2009 e elegeu Carlos Henrique Gaguim do PMDB.

Fonte: G1