União da base nao existe, diz Eliseu

O deputado afirmou ainda que o PTB não descarta aliança com o PSDB

Negando todas as possibilidades da manutenção da base aliada unida, o deputado federal Elizeu Aguiar (PTB) afirmou que as indefinições da base estão provocando um descontentamento no PTB. Segundo ele, o partido não descarta uma aliança com a oposição ou mesmo um candidatura própria, caso os demais partidos que compõem a base, não respeitem os critérios acordados.

Para o deputado, a tão pregada "união da base" não existe, já que não há um alinhamento de entendimentos entre os membros. "Por conta disso, a possibilidade de tirar um nome de consenso entre os quatro pré-candidatos, é nula. Da forma como está, não se chega a um entendimento", frisa, acrescentando que o PTB foi o partido que mais buscou o entendimento da base. "Não colocamos o nosso bloco na rua como fizeram os demais. Se tivéssemos feito isso, eles entenderiam?", questiona.

A insatisfação do deputado é também a do vice-prefeito de Teresina, Elmano Ferrer (PTB). Elmano chegou a afirmar que, os demais membros da base insistirem em candidaturas próprias, cada partido será livre para tomar o rumo que lhes forem mais convenientes. Diante dessa conjuntura, a aproximação do PTB com o PSDB parece não ser mais uma possibilidade distante. "Não existe portas fechadas para o PTB com nenhum partido. Precisamos afunilar as conversações, porque, enquanto há esses desentendimentos, a candidatura do prefeito Sílvio está cada vez mais articulada", pontua.

O parlamentar petebista lembrou ainda que o PTB não é aliado do governo de "última hora" e, por reunir os critérios estabelecidos inicialmente, teria grandes chances de ser o nome escolhido pela base, caso sejam respeitados os acordos. (M.M)

"Somente se o governador ficasse base teria chances de união"

Elizeu Aguiar enfatizou que a forma como as coisas estão sendo acertadas, os pré-candidatos não chegarão a uma intendimento. "Se o Wilson tem sido claro que será candidato se assumir o governo e o governador tem grandes chances de sair candidato ao senado, já que tem bastante aceitação para isso. O PT também tem dito que terá candidato próprio nos cinco Estados onde já possui os governadores, esse acordo não está sendo cumprido", argumenta.

O petebista disse ainda que "somente se o governador Wellington Dias permanecesse no cargo a base teria chances de se unir". "E isso não vai acontecer. O Wellington tem tudo para sair para disputar o senado", ressaltou, acrescentando que a base tem levado o PTB a querer mudar de postura, já que há especulações de que Antônio José Medeiros seria o candidato, o PMDB seria o vice e o Wilson Martins ao Senado. "Onde fica o PTB nessa história? Estamos sendo excluídos", diz.

O objetivo dos petebistas, segundo o parlamentar, é a candidatura a governador. Indagado sobre as declarações dos tucanos de que não haveria possibilidades do PTB encabeçar uma chapa junto com os tucanos, Aguiar diz acreditar que essa barreira não existe. "Estamos prontos para conversar. Em política não existe portas fechadas. Se se chegar ao entendimento de que o PTB será vice, isso pode acontecer", adianta. (M.M)

Fonte: Mayara Martins