Elmano nega definição sobre sua saída do PTB, mas admite desconforto

Senador eleito negou ontem que sairá do PTB. Segundo o parlamentar, o momento é de diálogo para resolver um problema com os líderes do partido em nível nacional

O senador eleito Elmano Férrer negou ontem que sairá do PTB. Segundo o parlamentar, o momento converge para a busca de uma solução interna, de modo que qualquer divergência possa ser resolvida sem o desligamento dos principais líderes do partido no Piauí. Prestes a assumir o mandato no Senado, Elmano revelou que pretende avaliar a situação cuidadosamente.

“Se espalhou muita coisa. Você não pode simplesmente entrar e sair do partido. Existe um descompasso dentro do partido, mas não é no Piauí. Vamos buscar a solução dentro do próprio partido, sendo que me elegi pelo PTB e o desconforto não quer dizer que vamos sair amanhã”, relatou.

Em relação ao futuro, Férrer pregou a calma, não pensa sequer nas eleições municipais do próximo ano, abrangendo para o foco nas realizações que poderá concretizar no novo cargo, dentre elas, melhorias na mobilidade urbana, tanto da capital como do interior do Estado.

Pertencente à base aliada do governador Wellington Dias (PT), o senador eleito negou qualquer conflito de interesses, elogiando a atuação do Chefe do Executivo Estadual até o momento. “O que o governador está fazendo é correto e também farei como senador”, destacou.

No que tange aos boatos de que entraria na disputa pela Prefeitura de Teresina em 2016, o parlamentar fugiu do assunto e negou que haja qualquer articulação para isso no momento, de acordo com Férrer, o período é de “ressaca” do pleito passado.

“Vamos falar de projetos e não de outras eleições, tenho que tratar de um mandado que acabei de receber, de oito anos”, complementou. Para o senador, a preocupação está em corresponder a confiança da população piauiense, que o elegeu com votação expressiva nas eleições de 2014, onde teve a difícil missão de derrotar o ex-governador Wilson Martins (PSB).

Clique aqui e curta o Meionorte.com no Facebook

Fonte: Francy Teixeira