Em BH, Lula diz que Aécio tem comportamento de 'filhinho de papai'

Ex-presidente participou de ato de campanha em favor de Dilma. Ele criticou postura do candidato Aécio Neves em debates.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou de ato político a favor da candidata Dilma Rousseff (PT) neste sábado (18) em Belo Horizonte e fez críticas ao comportamento que Aécio Neves (PSDB) tem tido nos debates na TV. Para Lula, o rival de Dilma age como "filhinho de papai".

"O comportamento dele não é comportamento de um candidato, de alguém que tem responsabilidade. É  comportamento de filhinho de papai", afirmou Lula. O ex-presidente deu a declaração quando comentava as discussões entre Aécio e Dilma nos recentes debates na TV.

“Eu não sei se ele teria coragem de ser tão grosseiro se o adversário dele fosse um homem”, completou o ex-presidente.

Lula discursou em evento em Santa Tereza, na Região Leste de Belo Horizonte. Ao lado dele, estava o governador eleito de Minas Gerais, o também petista Fernando Pimentel. Participaram integrantes de movimentos sociais e sindicatos.


O ex-presidente acusou Aécio de ser agressivo porque Dilma é mulher. “Sabe qual é a tática dele? A tática dele é partir para a agressão. ‘Meu negócio com mulher é sempre partir agredindo porque aí a coisa pega mais’”, disse o ex-presidente, como se estivesse falando como o candidato tucano.

Lula também alegou que o candidato tucano não mantinha diálogo com movimentos sociais e sindicatos durante os oitos anos em que governou Minas Gerai. Ele citou como exemplo o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE). “Todo mundo sabe que o moço é vingativo [Aécio]. Não conheço em nenhum momento da história , nem no regime militar, um momento em que os professores foram tão perseguidos como foram os de Minas Gerais. Quem é que lembra, algum dia, que o candidato de oposição fez alguma reunião com os catadores de material reciclável deste estado?", questionou.

 Para o ex-presidente, eleger Aècio seria um "erro" do país, equivalente a ter eleito o ex-presidente Fernando Collor. “Este país muitas vezes comete equívocos. Este país em 1989, com medo de mim, com medo de Ulisses Guimarães, com medo do Brizolla, com medo do Mário Covas, muitas vezes, instigado pela mídia, este país escolheu o Collor como presidente da República, dizendo que era o novo. E vocês sabem o que aconteceu neste país”, concluiu.

O ex-presidente também minimizou a matéria publicada na última edição da “The Economist”, em que a revista inglesa recomenda aos brasileiros a eleição de Aécio Neves. Segundo Lula, ela é ligada aos grandes investidores. “Esta revista é a revista mais importante do sistema financeiro internacional. É dos bancos, daqueles achacadores”, defendeu.

Debates

Aécio e Dilma voltaram a trocar agressões verbais nesta quinta-feira (16) no segundo debate entre presidenciáveis do segundo turno, transmitido pelo SBT e também organizado pelo portal UOL e pela rádio Jovem Pan. O tom foi semelhante ao do debate anterior, na última terça-feira, em que ambos se atacaram mutuamente.

No debate desta quinta, o presidenciável tucano disse em várias passagens que Dilma "mente" e que a campanha dela produz ofensas contras os adversários. "Quem mente é o senhor", respondia a presidente, candidata à reeleição.

Em um dos momentos mais tensos do debate, os candidatos trocaram acusações devido ao emprego de irmãos no serviço público. Dilma questionou o fato de a irmã de Aécio, Andreia, ter atuado no governo de Minas Gerais na época em que ele foi governador. "Ela era responsável pela gestão das verbas em todas as questões relativas a propaganda", afirmou a petista, que, a exemplo do debate anterior. destacou que o rival também empregou tia, tio e três primos no governo mineiro.

Aécio reagiu dizendo que a irmã assumiu o serviço de voluntariado de Minas Gerais, trabalhando sem remuneração, e fez referência ao irmão de Dilma, Igor Rousseff. "A senhora conhece o sr. Igor Rousseff? Seu irmão foi nomeado pelo prefeito Fernando Pimentel [do PT, que governou Belo Horizonte entre 2002 e 2009] e nunca apareceu para trabalhar. A diferença é que a minha irmã trabalha muito e não recebe nada. O seu irmão recebe e não trabalha", respondeu o tucano.

Fonte: G1