Em convenção, PSOL lança no RS ex-deputada Luciana Genro à Presidência

Convenção nacional do partido ocorre em Brasília neste domingo (22)

O PSOL oficializou neste domingo (22) a candidatura da ex-deputada Luciana Genro (RS) para concorrer pelo partido à Presidência da República nas eleições de outubro. Também ficou definido o nome de Jorge Paes para candidato a vice, membro do diretório paulista da sigla. O partido realiza convenção nacional em Brasília.


Em convenção, PSOL lança a ex-deputada Luciana Genro (RS) para disputar a Presidência

Genro não tinha concorrentes dentro do PSOL para representar a sigla na eleição presidencial. O nome dela foi referendado por 61 membros do diretório nacional e 27 representantes de diretórios estaduais do partido.

A candidata passou a ser a escolha do PSOL para a disputa da eleição depois que o senador Randolfe Rodrigues, que cogitava se lançar, ter anunciado, no último dia 13, que não iria mais concorrer.

Aos 42 anos, a candidata a presidente do PSOL comanda atualmente a presidência da Fundação Lauro Campos, vinculada ao partido. Ela exerceu mandato de deputada estadual no Rio Grande do Sul entre 1995 e 2002, pelo PT. Em 2002, foi eleita deputada federal, também pelo PT, mas foi expulsa pelo partido em dezembro de 2003, depois de ter votado contra o projeto da reforma na Previdência. Ao lado da ex-senadora Heloísa Helena (AL), é uma das fundadoras do PSOL.

Além de referendar a candidatura de Luciana Genro e Jorge Paes, a convenção do PSOL neste domingo também discutiu o plano de governo do partido nas próximas eleições. Um dos temas em debate foi o financiamento de campanha, que hoje no PSOL é feito exclusivamente por pessoas físicas.

Os delegados dos diretórios da sigla chegaram a discutir a possibilidade de especificar a exclusão da doação para campanha feita por médias e grandes empresas, o que facilitaria a doação de micro e pequenos empreendedres. No entanto, a maioria preferiu não alterar o estatuto do PSOL.

De acordo com a ex-deputada do partido Maninha (DF), membro do diretório nacional do PSOL, a convenção também serviu para deixar clara a posição da sigla em relação aos principais candidato à presidência da República. ?Ficou definido que temos três campos distintos. Já sabíamos qual é o lugar da Dilma e do Aécio nas disputa pela presidência, mas não havia uma definição sobre o PSB e Eduardo Campos. Agora vemos que ele é uma terceira via e não estamos juntos com nenhum deles?, declarou.

Figuras importantes do partido, como o senador Randolfe Rodrigues (AC) e a ex-senadora Heloísa Helena (AL) não participaram do encontro. Neste fim de semana, o PT e o PR também realizaram convenção nacional para definir candidaturas. A convenção petista confirmou o nome de Dilma Rousseff para reeleição ao lado de Michel Temer. Já o PR decidiu adiar para o dia 30 a decisão sobre que candidato irá apoiar. A definição ficará a cargo dos 23 membros da executiva nacional do partido.

Fonte: G1