Em jantar com Dilma, Ciro Gomes fala em 'Golpe falsário-mafioso'

A presidente recebeu Ciro Gomes para jantar no Palácio da Alvorada

Ex-ministro Ciro Gomes
Ex-ministro Ciro Gomes


O ex-ministro, Ciro Gomes, jantou na noite desta segunda-feira(10), no Palácio da Alvorada, com a presidente Dilma Rousseff. Ela está ampliando o grupo de interlocutores que possam ajudá-la na operação contra o impeachment.

Durante o encontro estiveram presentes ainda o ministro Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) e o goernador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Ciro Gomes aconselhou a presidente a endurecer com o PMDB, que segundo ela estaria na linha de frente da conspiração pela derrubada de Dilma Rousseff. "Michel Temer (vice-presidente da República) está conspirando faz tempo", afirmou Ciro.

O ex-ministro disse que entendo que está em curso "um golpe salafário-mafioso"e que é necessário "lancetar esse tumor". Cirgo Gomes acredita que o poder do vice-presidente é menor que o da presdente Dilma e que é necessário que o Governo use todo o seu poder de fogo para combater o impeachment.

A recomendação dada por Ciro é muito "trabalho profissional e pragmáatico". Primeiro combater e denunciar o que chama de golpismo e depois sinalizar mudanças na economia para dar alento a população.

Ciro Gomes achou correta, apesar de tardia, o rompimento do Palácio do Planalto e do PT com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). 

A recomendação para que a presidente Dilma recebesse Ciro Gomes foi dada pelo governador Pezão. Atualmente o governador junto com a ala majoritária do PMDB são o principal polo de sustentação política de Dilma Rousseff dentro do PMDB.

No jantar, Dilma disse a Ciro, em tom amistoso: “Gostei de sua entrevista. Até da parte que você fala mal de mim”. Ela se referia a uma das várias entrevistas recentes do ex-ministro, pregando contra o impeachment.

O ex-ministro faz uma análise sobre a troca de comando na Casa Civil, com a saída de Aloizio Mercadante e a entrada de Jaques Wagner: “De alguma forma, piorou. Não porque Wagner seja pior ou melhor do que Mercadante. Mas porque saiu do Palácio alguém que defendia o governo de maneira muito fiel à presidente”. Ciro acredita que não foi bom a presidente da República passar a impressão de que cedeu à pressões para mudar a equipe.

Ciro Gomes disse que conversou com Dilma dando sua opinião sincera e afirmou que está voluntariado para qualquer trabalho. “Conversei com ela [Dilma]. Dei minha opinião franca. Estou voluntariado para qualquer trabalho”.

Fonte: Uol