Em nota, PSDB, DEM e PPS dizem que PAC 2 "é peça de campanha eleitoral"

Governo prevê R$ 958,9 bilhões de investimentos entre 2011 e 2014.

O ministros da Educação, Fernando Haddad, da Fazenda, Guido Mantega, da Defesa, Nelson Jobim, e do Desenvolvimento, Miguel Jorge, participam da cerimônia de lançamento do PAC 2 (Foto: Antonio CRuz/ABr)

As direções nacionais do DEM, PSDB e PPS divulgaram nota conjunta em que criticam o novo Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC 2, anunciado pelo governo nesta segunda-feira (29).

Segundo os partidos de oposição, o governo anunciou ?com pompa e circunstância? a extensão do programa, apesar de o PAC 1 ?ter apenas 11% das obras concluídas?. Segundo os partidos, na região Nordeste ?essa percentagem cai para 4%?. O governo afirma que 40% da primeira fase do programa foram concluídos.

A oposição diz ainda que o anúncio do novo programa é ?mera peça de campanha eleitoral, movida às custas do contribuinte brasileiro? e que ?cerca de 60% das obras inauguradas pelo governo nem mesmo estavam prontas?.

A nota é assinada pelos presidentes do PPS, Roberto Freire, PSDB, Sérgio Guerra, e do DEM, Rodrigo Maia.

No anúncio do lançamento do programa nesta segunda, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o PAC 2 prevê R$ 958,9 bilhões em investimentos e obras entre 2011 e 2014. Segundo ele, o governo está construindo uma "prateleira de projetos".

"É pensando quatro anos para frente que a gente pode construir esse país mais rapidamente", disse Lula durante discurso.

Entre os projetos previstos no novo PAC está a meta de construção de 2 milhões de moradias populares até 2014, disse a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), durante detalhamento do projeto. Segundo ela, se os objetivos do novo PAC e do programa Minha Casa, Minha Vida forem cumpridos, 3 milhões de casas serão construídas nos próximos quatro anos.

Fonte: g1, www.g1.com.br