Armando Monteiro Neto tem 47% e venceria eleições ao goveno no primeiro turno no PE

Armando Monteiro Neto tem 47% e venceria eleições ao goveno no primeiro turno no PE

Em PE, Armando Monteiro Neto tem 47% e venceria no primeiro turno

Se a eleição fosse hoje, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) seria eleito governador de Pernambuco no primeiro turno. Ele aparece com 47% dos votos na pesquisa Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (14).

Paulo Câmara, do PSB, aparece em segundo, com 13%. Ele era o afilhado político de Eduardo Campos, que morreu quarta-feira (13) num acidente aéreo em Santos (SP).Os outros quatro candidatos somam 5%.

O Datafolha ouviu 1.198 eleitores, entre os dias 12 e 13. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob número PE-00017/2014

A eleição em Pernambuco prometia um duelo particular entre Campos e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os dois foram muito próximos até que o ex-governador pernambucano deixou a base aliada de Dilma Rousseff (PT) para se lançar candidato à Presidência.

Monteiro, ex-presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), é o candidato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Câmara, ex-secretário da Fazenda de Eduardo Campos, contava com o padrinho político para alavancar sua candidatura. A ideia era repetir a fórmula de 2012, quando Campos elegeu outro desconhecido, Geraldo Júlio (PSB), prefeito do Recife.

A estratégia do PSB previa uma presença maciça do presidenciável na propaganda de rádio e TV de Câmara, que começa no próximo dia 19. Além disso, estava combinado que Campos aproveitaria as viagens ao Nordeste para participar de eventos junto com o afilhado político.

A dúvida, agora, é como o eleitor pernambucano irá reagir diante da morte trágica de Campos e de que forma os candidatos se comportarão em relação a isso.

AVALIAÇÃO

O Datafolha também avaliou o grau de satisfação dos pernambucanos com o governador João Lyra Neto (PSB), que assumiu o cargo há quatro meses, quando Eduardo Campos se licenciou para a disputa presidencial.

Sua gestão foi aprovada por 24% dos entrevistados. Para 39% o desempenho de Lyra é regular e 12% o consideram ruim ou péssimo.

Para 22%, não há nenhuma área do governo Lyra que mereça ser destacada como a de melhor desempenho. Com 21% das citações, educação foi a área mais bem avaliada. Saúde foi a de pior desempenho para 42%.


Fonte: FOLHA