Emissoras de TVs cancelaram debate para atingir PT, afirma Lula

"É uma vergonha que a cidade mais importante do Brasil não tenha um debate", afirmou.

O ex-presidente Lula acusou ontem as emissoras Globo e Record de cancelar os últimos debates entre os candidatos à Prefeitura de São Paulo na TV para prejudicar o petista Fernando Haddad. "Veja que engraçado. Em todas as campanhas em que o PT estava na frente na pesquisa tinha debate na Globo e na Record. Agora não tem mais debate", disse Lula junto a Haddad, na zona leste.



"É uma vergonha que a cidade mais importante do Brasil não tenha um debate", afirmou. "Eles não querem que esse moço aqui mostre a competência que tem."

Os debates estavam programados para segunda-feira (Record) e hoje (Globo), mas foram cancelados por motivos diferentes.

A Record alegou que José Serra faltou aos encontros para definir as regras e que Celso Russomanno (PRB) não teria que acompanhar o parto da filha --o bebê nasceu três dias antes do previsto.

A Globo informou que não faria debate com mais de seis candidatos e não conseguiu derrubar decisão judicial que garantia a presença dos nanicos Levy Fidelix (PRTB) e Carlos Giannazi (PSOL).

Lula contestou a justificativa da emissora para não fazer o debate. "Sabe qual é o pretexto? Que tem candidato nanico. Ora, meu Deus, ninguém pode ser condenado nesse país por ser pequeno."

Ele também citou a campanha presidencial de 2006, quando se recusou a debater com Geraldo Alckmin (PSDB), Heloisa Helena (PSOL) e Cristovam Buarque (PDT). "Colocaram cadeira vazia no debate", lembrou o petista.

Em 2008, quando a Globo cancelou debate em São Paulo pelos mesmos motivos deste ano, a disputa era liderada pela petista Marta Suplicy.

Em nota, a emissora carioca afirmou: "As regras para realização de debates na TV Globo são bem conhecidas pelos candidatos, nesta e em eleições passadas."

"Sempre limitamos o número de participantes a no máximo seis, procurando acordo com os menos competitivos. Quando esse acordo é alcançado, há o debate. Se, depois do acordo, algum candidato falta, a cadeira fica vazia. Se não há acordo, não há debate. Em 2008, em São paulo, também não houve debate, pelos mesmos motivos."

"São regras antigas, que não deveriam causar estranheza a quem já participou de tantas eleições, com regulamentos idênticos."

A Record foi procurada, mas não se manifestou sobre as declarações de Lula.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br