Esforço em baixar inflação será \\\"prolongado\\\", diz BC

Presidente do Banco Central disse que outro grande desafio é lidar com os intensos fluxos de capitais estrangeiros

O esforço do governo para trazer a inflação ao centro da meta precisará ser prolongado, disse nesta terça-feira o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

Em apresentação na primeira reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do governo Dilma Rousseff, Tombini falou que a inflação é uma preocupação e um fenômeno global, mas disse que o Brasil apresenta desafios específicos também.

"A inflação brasileira reflete a inflação global elevada... mas também tem componentes locais", salientando a alta de preços no setor de serviços, "um reflexo do aquecimento da economia".

O presidente do BC defendeu o uso das medidas macroprudenciais argumentando que elas têm efeito sobre a demanda agregada. Segundo ele, as medidas que vêm sendo tomadas tem por objetivo desacelerar o crescimento do crédito e não contrair o crédito.

Tombini disse que, além da inflação, o outro grande desafio do BC é lidar com os intensos fluxos de capitais estrangeiros que têm contribuído para a valorização do real.

Como já havia feito o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que falou antes, Tombini usou os dados acumulados de abril para mostrar que as medidas do governo para conter a entrada de dólares têm funcionado.

Até o dia 20, o país registra um saldo positivo de US$ 133 milhões no mês, enquanto no primeiro trimestre o superavit foi superior a US$ 35 bilhões.

Fonte: Folha.com