"Estádios são obras relativamente simples",presidente durante reunião

Apesar dos atrasos, ela voltou a dizer que Brasil fará a "Copa das Copas".

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (23), após reunião com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, que "os estádios são obras relativamente simples", ao defender a capacidade do Brasil em receber os visitantes para a Copa do Mundo.

"O governo brasileiro ? eu estou em janeiro ? fará todo... tem todo o empenho, e não é só nos estádios, os estádios são obras relativamente simples, fará todo o empenho para ser a Copa das Copas. Isso inclui estádios, aeroportos, portos, e inclui todas as obras necessárias para que a gente seja o país que bem recebe todos aqueles que vão nos visitar", disse.

A declaração foi feita no final de uma entrevista à imprensa após o encontro com Blatter. Dilma já havia terminado, quando pediu "só um instantinho" para falar.

Na véspera, Dilma já havia se manifestado sobre os estádios da Copa ao comentar a possibilidade de o estádio em Curitiba, que corre o risco de ficar fora do torneio por conta de atrasos.

"Aquilo que Nelson Rodrigues dizia: não é possível pensar no pior. Pelo contrário. Eu acredito que todos, o governador, o prefeito e os empresários que são responsáveis pelo estádio de Curitiba irão fazer o estádio no prazo. É algo que eu tenho certeza", disse nesta quarta, durante a inauguração da Arena Dunas, em Natal (RN). "Eu acho que o Brasil tem de apostar a seu favor, não contra", completou.

Em sua declaração à imprensa, Dilma também falou que a Copa, além de deixar melhorias para o povo brasileiro, também deixará um legado de valores para o mundo. Por isso, ela disse apoiar a proposta da Fifa de tornar a luta contra o preconceito uma das bandeiras da Copa.

"O Brasil é um país que teve no futebol também um momento importante, pelo qual uma parte de seu povo, sistematicamente alijado de suas riquezas, se afirmou. Em que jogadores negros se transformaram em heróis nacionais", declarou.

A petista relatou ter conversado com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, para que a Copa seja "um movimento de afirmação da paz entre os homens".

O encontro entre Dilma e Blatter ocorre em meio aos preparativos para a Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil entre junho e julho deste ano. Uma comitiva da Fifa, chefiada pelo secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, está no país para acompanhar a preparação das cidades-sede da competição e dos estádios que serão palco de jogos durante o Mundial.

Antes de se reunirem a portas fechadas, Blatter mostrou a Dilma as bolas oficiais usadas nas Copas do Mundo, inclusive a Brazuca, que será usada no Brasil, em junho. Apesar dos diversos atrasos registrados nas obras de estádios e mobilidade urbana, Dilma voltou a afirmar que o Brasil "está preparado para realizar a Copa das Copas".

Fonte: G1