Estudantes pedem que Lula não receba governador em exercício do Distrito Federal

Paulo Octávio está tentando marcar uma audiência com Lula desde a última sexta-feira.

Um grupo de estudantes pede que o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva não receba o governador em exercício do Distrito Federal (DF), Paulo Octávio (DEM). O grupo se concentra no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede provisória da Presidência da República.

O grupo de estudantes levou para a porta CCBB um bolo e faixas pedindo a saída de Arruda e de seu grupo político do governo do Distrito Federal. Paulo Octávio está tentando marcar uma audiência com Lula desde a última sexta-feira.

Paulo Octávio assumiu o cargo após a prisão do governador licenciado José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), acusado de envolvimento no esquema de corrupção e de pagamento de propina investigado pela Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal.

Hoje (17), a assessoria do governador reforçou o pedido do encontro, mas fontes do Planalto, próximas ao presidente, descartaram a possibilidade da audiência ser concedida hoje.

Na semana passada, Paulo Octávio disse que quer pedir o apoio do presidente para continuar governando. ?Quero dizer ao presidente Lula que nós vivemos em um sistema democrático. Eu estou assumindo o governo de Brasília em um momento difícil. Quero pedir o apoiamento dele. Quero pedir que ele nos ajude, que ajude Brasília e que ajude na celebração dos 50 anos da cidade?, disse o governador ao cumprir uma agenda de visita a obras no Distrito Federal.

O governo do DF enfrenta um pedido de intervenção federal apresentado pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel ao Supremo Tribunal Federal (STF). O STF deu prazo de cinco dias úteis para que o governo do DF apresente a defesa prévia. Caso o STF decida pela intervenção, caberá a Lula nomear o interventor.

Paulo Octávio disse que quer discutir com Lula como seria essa intervenção. ?Quero discutir com ele [Lula] essa possível intervenção sem interferência?, disse o governador em exercício.

Fonte: Agência Brasil