"Eu não temo e não vou renunciar", diz Dilma Rousseff em entrevista

Dilma voltou a afirmar que está sofrendo um golpe parlamentar.

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, concedeu uma entrevista exclusiva ao canal BBC, e afirmou durante a gravação que o seu vice Michel Temer, não tem popularidade e que o impeachment que está sendo processado contra ela visa levar pessoas sem legitimidade ao poder.

Dilma voltou a afirmar que está sofrendo um golpe parlamentar ao invés de militar: “Em um golpe parlamentar na prática geralmente são feitos por aqueles que não têm votos suficientes, nem aprovação, nem popularidade suficientes”, afirmou ela.

Sobre um grande cenário de impeachment, a presidente afirmou que vai continuar lutando para continuar no seu governo: “Vamos resistir e lutar para ganhar no mérito e retornar ao governo. Eu não temo porque não devo nada. Seria melhor que eu renunciasse, porque se eu renuncio a prova viva de que existe um golpe desaparece, não contem com isso porque não vou renunciar”, declarou.

Questionada se o avanço do processo de impeachment se devia à sua baixa popularidade e à fraca articulação política no Congresso, a presidente respondeu que falta de apoio popular não serve para justificar a queda do governo no regime presidencialista.

"Porque se a questão fosse popularidade, o vice-presidente tem menos aprovação do que eu. Quem não tem voto suficiente, porque jamais foi eleito numa eleição majoritária, não teve 54 milhões de votos, o que fazem? Criam essa roupa de impeachment. Na verdade essa roupa é um disfarce para uma eleição indireta em que o Parlamento passa a indicar o presidente, e não o voto direto e secreto das urnas", criticou.

Presidente Dilma Rousseff (Crédito: Reprodução)
Presidente Dilma Rousseff (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do G1