Ex-senadora Marina Silva diz que não subirá no palanque do PSDB em hipótese alguma na eleição

Ex-senadora Marina Silva diz que não subirá no palanque do PSDB em hipótese alguma na eleição

A candidata a vice-presidente na chapa de Campos, disse que seu grupo político, a Rede, não subirá em hipótese alguma, no palanque do PSDB

A ex-senadora Marina Silva não vai apoiar a aliança entre o ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência pelo PSB Eduardo Campos e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Em entrevista ao programa, É Notícia, da Rede TV, Marina, candidata a vice-presidente na chapa de Campos, disse que seu grupo político, a Rede, não subirá em hipótese alguma, no palanque do PSDB.

Não vamos apoiar a aliança. O melhor caminho seria o da candidatura própria. Não sendo [assim], a Rede está discutindo se participará com a candidatura ao Senado, disse.

Na sexta-feira (20), Campos selou a aliança que garantirá ao seu partido a vaga de vice na chapa do PSDB ao governo de São Paulo. Alckmin, no entanto, apoia o candidato de seu partido, o senador Aécio Neves, na corrida presidencial.

No Rio, Campos decidiu se aliar ao senador Lindbergh Farias (PT), candidato ao governo fluminense que apoia a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Campos optou por ficar na órbita das siglas adversárias para garantir exposição nos palanques do Sudeste, onde é pouco conhecido. Mas suas alianças em São Paulo e no Rio desagradaram Marina.

As alianças contrariam o discurso de Campos e sua vice, a ex-senadora Marina Silva, que pregam a renovação na política e se apresentam como alternativa à polarização entre petistas e tucanos.

Em Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país, Campos ensaiou uma aliança com o PSDB, que governa o Estado há 12 anos, mas foi obrigado por Marina a abandonar as negociações. O PSB escolheu lançar o deputado federal Júlio Delgado.

Fonte: Folha