Expectativa de Vida cresceu no Piauí em 7 anos

Expectativa de Vida cresceu no Piauí nos últimos 7 anos, em 2002 o piauiense tinha ao nascer uma uma estimativa 66,2 anos

Expectativa de Vida cresceu no Piauí nos últimos 7 anos, em 2002 o piauiense tinha ao nascer uma uma estimativa 66,2 anos e em 2008, a esperança de vida, atingiu 69,3 anos. Esse dado faz parte dos indicadores da saúde no Piauí. Esses indicadores são dados de 2002 a 2009, lançados ontem pela, secretaria de saúde do Piauí, em uma série histórica que apresenta, a despesa total com Saúde sob a responsabilidade do Estado por habitante, proporção de municípios com serviço de reabilitação física, proporção de teste do pezinho, taxa de natalidade, esperança de vida ao nascer, taxa de mortalidade infantil e razão de mortalidade materna.

Telmo Mesquita, secretário de Saúde do Piauí relata que esses indicadores são uma forma de balizar as políticas públicas na saúde. ?Esse raio X vai nos proporcionar iniciativas que melhorem as estruturas físicas e humanas nos hospitais do estado, além do que a proposta de fomento a humanização da saúde serão colocadas em voga?, pontua Mesquita. Ele destaca ainda que os dados permitem uma maior visualização da atividade de gestão em saúde no Piauí e como elas foram desenvolvidas ao longo desses anos.

Conforme reitera a diretora de Vigilância e Atenção a Saúde, Leidimar de Alencar a iniciativa de elaborar o documento partiu de ações estratégicas que foram tomadas e com o propósito de prestar contas. ?Nós mostramos como aconteceu a participação dos municípios e de que maneira essa municipalização da saúde beneficia a cobertura dos programas em todo o Piauí.?, lembra a diretora. Ela ponta também que essa é uma ferramenta que deve subsidiar novas prioridades para o processo de padronização da saúde.

A publicação traz também a situação sobre doenças como hanseníase, tuberculose pulmonar, leishmaniose, dengue; cobertura vacinal (tetravalente, hepatite B, influenza sazonal, poliomielite); Proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas de pré-natal, partos cesáreos, nascidos vivos com baixo peso ao nascer. O valor investido em saúde com recursos do estado, por habitante em 2002, era de R$ 49,36 e em 2008 esse valor passou ultrapassou os R$179,99. ?A preocupação com a qualidade fez com que muitos desses indicadores crescessem?, pontuou Telmo. O gestor alerta que muitos indicativos melhoraram mas que não atigiram ainda a meta, como é, com a redução dos casos com hanseníase.

Os indicadores mostram também a Média anual de consultas médicas por habitante, Proporção da população cadastrada pela Estratégia da Saúde da Família, Média de procedimentos odontológicos básicos individuais e dados sobre Hipertensão e Diabetes, inclusive com Taxas de internações por acidente vascular cerebral (AVC), insuficiência cardíaca congestiva e diabetes. (T.T.)

Fonte: Thays Teixeira - Jornal Meio Norte