Fábio Abreu defende projeto para rastreamento de armas

Defendeu lei de sua autoria que impõe o rastreamento das armas

Deputado federal licenciado, o atual secretário estadual de Segurança, Fábio Abreu (PTB), defendeu o projeto de lei de sua autoria que impõe o rastreamento das armas de fogo adquiridas no Brasil.

O debate pauta uma questão complexa em âmbito nacional, reverberada pelo 'Agora', da Rede Meio Norte. Quanto à proposição, o gestor pautou o diálogo, absorvendo a importância da iniciativa para a população, de modo que haja um controle desse comércio, impedindo que elas sejam destinadas para fins criminosos.

A iniciativa contempla o uso da tecnologia em prol de melhorias para os brasileiros, tais diretrizes foram justificadas pelo secretário, ampliando as discussões em torno da matéria.

"É uma questão de esclarecimento, pois não estamos aqui para proibir. No primeiro mês que assumi como deputado, coloquei um projeto de lei para que essa indústria que quer colocar arma em circulação, faça o rastreamento dessa arma, com a colocação de um chip de localização. Solucionaria muitos problemas com relação a crimes e com relação ao local onde a arma está e com quem está", apontou.

Quanto a questão do desarmamento, Abreu pregou a cautela, viabilizando o debate em torno da questão, de modo que possam ser observadas todas as implicações que o aumento no número de armas poderiam causar no país.

"É uma pergunta que carece de uma explicação anterior, aí entra o tempo de serviço à frente de algumas cooperações, onde temos um espelho claro do que reflete realmente a presença de arma de fogo nas mãos em tese da sociedade. Quando se fala em autorização, teremos critérios para esse porte", disse.

Fonte: Francy Teixeira