Fábio Novo afirma que não guarda ressentimentos com resultado: 'Bola bateu na trave'

O deputado lamentou que setores da mídia tivessem afirmado que ele pretendia abrir uma “caixa preta”


O deputado Fábio Novo (PT) usou a tribuna para falar sobre o pleito que elegeu a nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, afirmando inicialmente que sua campanha foi movida pelo desejo de acabar com a cultura do consenso, por acreditar que a disputa é mais democrática.

Ele disse não ter ficado com nenhum ressentimento, nem contra qualquer colega e muito menos o eleito, deputado Themístocles Filho (PMDB). Em seu discurso, o deputado fez referência a solicitação sua em requerimento aprovado minutos antes, no qual defende mudanças no site da Assembleia, para que a população possa acessá-lo com mais facilidade.

Defendeu que o Diário Oficial seja atualizado diariamentem, pois o último ato foi publicado em 30 de dezembro do ano passado. Fábio Novo defendeu que a Assembleia não mais modifique seu Regimento para permitir reeleição indefinida. Ele disse reconhecer que o colega Themístocles Filho foi melhor no diálogo, mas foi categórico: “eu chutei o pênalti, mas a bola bateu na trave.

O deputado lamentou que setores da mídia tivessem afirmado que ele pretendia abrir uma “caixa preta”. O deputado Fábio Novo foi aparteado pelos colegas Wilson Brandão (PSB), Edson Ferreira (PSD), Luciano Nunes (PSDB), Evaldo Gomes (PTC), Flora Izabel (PT), Fernando Monteiro (PTB) Dr. Hélio (PTC), Francisco Lima (PT), Gessivaldo Isaias (PRB), Gorgiano Lima (PSD), Severo Eulálio (PMDB) e Lisiê Coelho (PTB), todos eles enaltecendo o nível elevado dos candidatos na disputa e parabenizando o eleito.

Fonte: Alepi