Fábio Novo recua e diz que ainda decidirá se fica na liderança do Governo

Líder do Governo na Assembleia, o deputado Fábio Novo recuou e admitiu que poderá voltar atrás da decisão após pedido de reconsideração feito por Wellington Dias

Após comunicar através das redes sociais sua saída da liderança do Governo na Assembleia no último sábado (7), o deputado estadual Fábio Novo (PT) recuou e admitiu que poderá voltar atrás da decisão, ao menos até a quinta-feira (12), quando o parlamentar dará uma resposta definitiva ao governador Wellington Dias (PT).


Em entrevista na tarde de ontem, Novo revelou que o Chefe do Executivo pediu que ele reconsiderasse a ação, elencando ainda os motivos o que teriam levado a pedir a renúncia.

"Eu posso contribuir muito para o governo; ninguém pede para eu ficar em uma situação em que não sou feliz. Tem que ocorrer uma conversa franca para saber quem é governo e quem não é, disse ao governador que meu coração está pedindo para eu não ficar.

Estou bastante reflexivo", relatou. O parlamentar também apontou que a conversa com Wellington durou duas horas e desde então tem pensando muito sobre a questão, segundo Novo, a sua insatisfação não tem nenhuma ligação com a aproximação do governo com a oposição, ressaltando a necessidade de que se mantenha uma relação harmoniosa com o Poder Legislativo.

Por fim, o deputado estadual deixou explícito o incômodo após a definição da composição das Comissões Técnicas da Assembleia, em que a presidência da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) acabou ficando com um dos maiores opositores de Dias, Robert Rios (PDT).

"Houve quebra de acordo na composição das Comissões, disse que a CCJ poderia ficar com um dos três: Flávio Nogueira (PDT), Gessivaldo Isaías (PRB) ou Júlio Arcoverde (PP), mas não com Robert Rios (PDT). A bancada parece ser do governo, mas não é; prefiro uma minoria qualificada do que uma falsa maioria", complementou.

 

Fonte: Francy Teixeira