FHC, Serra e Cristovam exaltam legado de ex-ministro em enterro

FHC, Serra e Cristovam exaltam legado de ex-ministro em enterro

FHC lamentou a morte do colega tucano, que trabalhou como ministro da Educação

Presentes no enterro do ex-ministro da Educação do governo FHC Paulo Renato Souza na manhã desta segunda-feira, no cemitério do Morumby, em Morumbi, São Paulo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o ex-governador de São Paulo José Serra e o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) lembraram do legado de inclusão deixado pelo político, morto no sábado, em São Roque (SP), após um infarto. Seu corpo foi velado na Assembleia Legislativa de São Paulo às 8h40 de domingo.

"Foi um grande homem e uma grande pessoa. O maior legado que ele deixa é o de dar educação ao povo, de incluir todo o mundo", disse FHC sobre o colega tucano, um dos fundadores do PSDB. José Serra chegou a dizer que a atuação de Paulo Renato como ministro foi um divisor de águas para a educação no País. "Ele era um amigo muito querido, toda a ação dele no Ministério da Educação foi voltada para a inclusão das pessoas. Ele tomou uma série de medidas corajosas. Pode-se separar a educação em dois momentos: antes e depois de Paulo Renato", afirmou.

Para Cristovam Buarque, "poucos homens deixam um legado como ele, a não ser quem chega à Presidência da República. O dia a dia (dele) na luta pela educação deve ser lembrado". O secretário da Cultura de São Paulo, Andre Matarazzo, ressaltou que a postura política de Paulo Renato justificava a presença de opositores nas homenagens póstumas. "Ele deixa um legado único, que é reconhecido por todos dentro da política, o que é difícil de acontecer. Quando o trabalho é bem feito, não é ideologizado nem partidarizado", argumentou.

Entre os presentes ao enterro, que ocorreu às 10h20, estavam ainda o deputado Roberto Freire (PPS-SP), o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), o ex-governador de São Paulo Alberto Goldman e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Dilma lamenta morte

A presidente Dilma Rousseff lamentou a morte do ex-ministro em nota divulgada na manhã de domingo, em que afirmou ter recebido a notícia com pesar e ressaltou que Souza prestou relevantes serviços ao País. "Recebi com pesar a notícia da morte do ex-ministro da Educação Paulo Renato Souza. Economista, ex-reitor da Unicamp e ex-vice presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, Paulo Renato prestou relevantes serviços ao País. Neste momento de dor, quero transmitir meus sentimentos a seus parentes e amigos", diz a nota.

Paulo Renato Souza morreu no sábado à noite, vítima de um infarto fulminante enquanto passava o feriado com parentes em um hotel na cidade de São Roque, no interior paulista. Aos 65 anos, o ex-ministro chegou a ser levado para um hospital local. Além de ministro da Educação no governo Fernando Henrique Cardoso, Paulo Renato foi deputado federal, secretário estadual de Educação de São Paulo, reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e gerente de Operações do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Fonte: Terra, www.terra.com.br