Filho de Bolsonaro cuspiu de volta em Jean Wyllys; veja vídeo

O filho do deputado é visto nas imagens cuspindo de volta em Wyllys

Foi divulgado nas redes sociais nesta terça-feira (19) um vídeo que mostra o momento em que Jean Wyllys (PSOL-RJ) cospe na cara do deputado Bolsonaro. É possível ver nas imagens, vista por outro ângulo, o final do voto de Jean Wyllys e o momento em que parece que Bolsonaro diz alguma coisa ao colega e mexe com as mãos como se quisesse chamar atenção. Nesse momento, vê-se que Jean volta alguns passos, como se estivesse reagindo a algo, e cospe na direção do parlamentar do PSC.

Ao continuar vendo o vídeo, na sequência, é possível ver que o deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), filho de Bolsonaro, também revida e cospe de volta em direção a Jean Wyllys. Eduardo chegar a dar alguns passos para frente para acertar o colega de Câmara quando ele passava.

Mas, o deputado Eduardo Bolsonaro postou nesta segunda-feira (18) um vídeo onde dizia ser incapaz de cuspir em um colega, mesmo não concordando com várias coisas que foram ditas.

 Jean Wyllys postou em seu perfil na rede social um texto onde assumia o ato e alegava que havia reagido a provocações recebidas.  “Depois de anunciar o meu voto não ao golpe de estado de Cunha, Temer e a oposição de direita, o deputado fascista viúva da ditadura me insultou, gritando "veado", "queima-rosca", "boiola" e outras ofensas homofóbicas e tentou agarrar meu braço violentamente na saída. Eu reagi cuspindo no fascista. Não vou negar e nem me envergonhar disso”, escreveu em seu post.

Filho de Bolsonaro cospe de volta em Jean Wyllys
Filho de Bolsonaro cospe de volta em Jean Wyllys

Jair Bolsonaro disse no final da sessão na Câmara que gritou “canalha” e disse “tchau querida” no momento em que o colega Wyllys passou. E reiterou que havia sido um comportamento que dele com todos aqueles que votavam pelo fim do impeachment da presidente Dilma Rousseff, e afirmou que vai protocolar na corregedoria da Câmara dos Deputados queixa contra Wyllys pelo custe que recebeu dele.

O PSD entrou com pedido de representação na Câmara pedindo a cassação do mandado de Jean Wyllys por causa por um bate-boca entre ele e o deputado João Rodrigues (PSD-SC), ocorrido no dia 28 de outubro, no plenário da Câmara.

Jair Bolsonaro também está envolvido em outra polêmica, pois na mesma sessão, ele homenageou o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra que, entre outras pessoas, torturou a presidente Dilma durante  o período da Ditadura Militar.

Logo após ele votar, começaram a surgir nas redes sociais muitas mensagens de pessoas que foram torturadas durante o período como forma de protesto.

 O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) informou que vai avaliar em sua próxima sessão plenária no início de maio o depoimento de Jair Bolsonaro sobre o torturador.

A OAB disse que publicará uma nota na qual repudia com veemência as declarações do deputado por representar “clara apologia a um crime ao enaltecer a figura de um notório torturador”.

Veja o vídeo:

Fonte: Com informações do Correio Braziliense