Filiados reforçam caixa dos partidos em ano eleitoral

. Para a maioria dos partidos do Estado, os recursos coletados entre os filiados são responsáveis por mais de 20% das receitas anuais

Com um universo de 2 milhões de eleitores e 245 mil filiados, os partidos políticos piauienses terão um reforço no caixa com a contribuição dos membros da sigla. Para a maioria dos partidos do Estado, os recursos coletados entre os filiados são responsáveis por mais de 20% das receitas anuais. O fundo partidário, no entanto, ainda é a maior fonte de renda dos 27 partidos locais. No Piauí, o Partido dos Trabalhadores possui a maior fatia no bolo de contribuições. De acordo com os últimos números do Tribunal Regional Eleitoral, por ano o PT recebeu R$ 635 mil em contribuições.

Para não afugentar os recém-filiados em ano de eleição, a nova estratégia dos partidos está em diminuir a porcentagem da mensalidade cobrada aos membros da sigla, atuando paralelamente nas contribuições voluntárias pela internet. O direcionamento nacional é cumprido à risca no Piauí, apesar dos dirigentes partidários ainda não terem lançado sites específicos para arrecadar doações voltadas somente para o pleito piauiense.

Segundo o secretário-geral do PSB no Estado, Messias Júnior, a contribuição de 10% descontada no salário mínimo, que corresponde a R$ 53, foi substituída pelo pagamento simbólico de R$ 1. ?Essa é uma resolução da Executiva nacional feita ainda no ano passado. Como temos 10% da remuneração líquida mensal dos parlamentares do partido, resolvemos poupar os filiados comuns?, explica. Em 2008 o PSB arrecadou R$ 28.763 de filiados e R$ 10. 500 dos parlamentares no Congresso e na Assembléia Legislativa somando mais de R$ 38 mil.

Com uma forte militância, o PT cobra a porcentagem de 0,5% a 1%, de acordo com o salário dos membros da sigla. Os ocupantes de cargos executivos e os parlamentares devem deixar até 20% da remuneração mensal líquida. No lado oposto aos petistas estão os tucanos. O presidente regional do PSDB, o deputado estadual Luciano Nunes Filho, revela que os filiados não possuem nenhuma obrigatoriedade de contribuição enquanto os parlamentares eleitos pelo partido devem deixar com a direção tucana 3% da remuneração.

?O dinheiro cobre a própria manutenção da estrutura partidária além de eventos e seminários que realizamos?, pontua. O último balancete de PSDB apontou apenas R$ 11 mil de contribuição dos parlamentares. Com 36 mil filiados no Estado, o PMDB só cobra dos políticos eleitos uma porcentagem de 5% do salário bruto. Já o PV, que possui somente 18 vereadores no Piauí e nenhum deputado, a contribuição fica em 10% da remuneração líquida mensal dos parlamentares. A cobrança, segundo a presidente regional dos verdes, a vereadora Tereza Brito, ?não é rígida?. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte