Flora Izabel lamenta o aumento de violência contra mulher no Piauí

A deputada cobrou políticas preventivas

Image title

A deputada estadual Flora Izabel (PT) usou a tribuna, nesta terça-feira (8), para lamentar as mortes de mulheres registradas nas últimas 24 horas no Piauí. A parlamentar cobrou a investigação dos casos, punição dos criminosos e, sobretudo, políticas preventivas no Estado.

Dados da Secretaria de Segurança do Piauí mostram que, de janeiro a junho deste ano, 36 mulheres foram assassinadas no Estado. Dez ocorrências foram registradas em Teresina, sendo nove classificadas como feminicídio. Neste final de semana, as donas de casa Elvira Antão de Sousa, de São Miguel do Tapuio, e Josilene Oliveira, de Floriano, tiveram suas vidas ceifadas pelos companheiros.

“Quando abro o jornal e vejo o número crescente de violência contra a mulher me sinto envergonhada. Em menos de 24 horas foram registrados três crimes contra a vida de mulheres em nosso estado. É inaceitável que a cultura machista, patriarcal e preconceituosa continue a prevalecer sobre o amor, o companheirismo, a realidade dos novos tempos que vivemos", frisa a parlamentar.

Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher na Alepi, Flora Izabel tem um mandato pautado em prol da defesa das mulheres. “Recentemente propomos a realização de audiência para alertar a sociedade e as autoridades sobre a importância de não baixarmos a guarda com relação à violência contra a mulher que, não raramente, culmina com sua morte”, recorda.

 

A parlamentar defende maior divulgação da Lei Maria da Penha nas escolas para que esse tipo cultura violenta seja combatida desde cedo. “Dados apontam que 64% dos casos de violência são presenciados pelos filhos. Estamos formando homens violentos, uma conduta que passa de pai para filhos. Um fator inibidor é a educação, a prevenção, e tem que ser a partir da infância”, finaliza.

 

Fonte: Alepi