Fonteles aposta em operações de crédito para minimizar crise

Plano beneficiará 20 Estados e 130 municípios do País

O secretário estadual de Fazenda, Rafael Fonteles, apresentou na manhã de ontem, na Assembleia Legislativa, a prestação de contas referente ao primeiro quadrimestre da atual gestão indicando para a aplicação dos recursos e as receitas constatadas no período.

No detalhamento do balancete, o gestor ressaltou que a situação do Estado ainda é difícil, indicando para a necessidade do diálogo com as categorias, de modo que o Piauí não descumpra o limite prudencial para gastos com pessoal da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“O próximo quadrimestre é o pior, pois há uma queda tradicional das receitas, então consequentemente é o pior momento esse que nós estamos enfrentando e espero eu que seja o final desse poço que estamos atravessando para que a gente possa já no finalzinho do ano sentir uma melhora para colher os frutos no próximo ano, que vai ser difícil, mas certamente melhor que este”, disse.

O programa de recuperação fiscal Refis e o CPF na Nota continuam sendo as grandes apostas do Executivo na melhoria da arrecadação para os próximos meses, contudo, Fonteles indicou as operações de crédito como o principal diferencial para o equilíbrio financeiro e a retomada dos investimentos no Piauí.

“Como prazo do Refis vai até dia 30 de junho, a gente espera atingir aquela meta de mais de R$ 100 milhões negociados e a campanha do CPF na Nota, além disso temos que destravar as operações de crédito, principalmente as referentes ao PAC 2, voltadas às obras e a do Banco Mundial, que pode ajudar com as contas”, assumiu.

De acordo com o secretário essa é a principal bandeira a ser perseguida em Brasília nos próximos meses. “Essa é a nossa grande luta, estamos esperançosos que o destravamento vai nos ajudar a ter uma boa recuperação”, concluiu.

Fonte: Francy Teixeira