Fora do DEM, partido de Gilberto Kassab perde força com aliados

Fora do DEM, partido de Gilberto Kassab perde força com aliados

Cotado para ajudar prefeito, governador do Amazonas cancela agenda com Kassab

Fora do DEM, o projeto do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, de criar um novo partido também começa a perder força. Neste fim semana, ele planejava lançar o manifesto em favor do Partido Democrático Brasileiro na Bahia e em Amazonas. Neste último Estado, no entanto, o evento foi cancelado.

A decisão foi tomada pelo governador do Amazonas, Omar Aziz (PMN), que cogitava aderir ao novo partido de Kassab. ?O governador me telefonou dizendo que terá uma outra agenda e que a reunião não será realizada?, afirmou o senador Sérgio Petecão (PMN-AC). ?Acho que a coisa do partido novo murchou?, completou.

Petecão afirmou que também planejava entrar no novo partido moldado por Kassab. ?Conversei com ele antes do Carnaval. Estava pensando no assunto?, disse o senador do PMN. ?O problema é que só foi essa conversa. Nunca mais ele voltou a falar comigo?, completou o senador que integra a base aliada do governo no Congresso.

Segundo o site apurou com fontes no Amazonas, Aziz tomou a decisão de permanecer no PMN após consultar o senador e ex-governador Eduardo Braga (PMDB-AM), que mantém boa interlocução no Palácio do Planalto. De acordo com um interlocutor do governador, Braga avalia que é melhor Aziz permanecer sob a órbita do PMDB que de Kassab.

Na terça-feira, Aziz acompanhou por telefone o desenrolar na convenção do DEM que escolheu José Agripino (RN) como novo presidente do partido. O governador do Amazonas ficou desanimado ao saber que aliados próximos do prefeito Kassab (como o deputado federal Rodrigo Garcia do DEM-SP) decidiram permanecer no partido.

Até a noite de terça-feira, o prefeito ainda não havia falado com Agripino. Nesta quinta-feira, o ex-senador Jorge Bornhausen (SC) e o deputado Eduardo Sciarra (PR) devem se encontrar com Kassab após uma cerimônia na Federação dos Bancos do Brasil (Febraban).

Bahia quer Kassab

Apesar do revés no Amazonas, Kassab tem a garantia de que haverá no domingo, em Salvador, o lançamento do manifesto de criação do novo partido na Bahia. O principal aliado do prefeito paulistano no Estado é o vice-governador Otto Alencar (PP). ?Vamos fazer um grande manifesto aqui em Salvador para a criação do novo partido?, disse Alencar.

Alencar contou que precisa trazer para o partido diversos aliados que atualmente se encontram em siglas oposicionistas. Ele cita como exemplo o próprio irmão Eduardo Alencar, que é prefeito de Simões Filho (região metropolitana de Salvador).

?Meu irmão está no PSDB e fez campanha para mim, para o Jaques Wagner (PT) e para a Dilma Rousseff (PT). Por causa disso perdeu o controle do diretório municipal e corre o risco de ficar sem legenda para disputar a reeleição?, afirmou Alencar.

O vice tem o apoio do governador Jaques Wagner. Um dos objetivos do petista é enfraquecer ainda mais legendas como o DEM, o PR e até o PMDB, partido do ex-ministro da Integração Nacional Geddel Vieira Lima. Ele disputou a eleição contra Wagner.

Fonte: IG