Francis Lopes diz que tem 90% de chance de continuar na AL

Francis negou que abandonará a pauta da cultura

Com a transformação da Fundac em Secretaria Estadual de Cultura, ação aprovada por unanimidade no Plenário da Casa Legislativa, as especulações envolvendo o licenciamento de um dos deputados da base governista para assumir a pasta cresceu nos bastidores do Poder. Inicialmente apontado como o ocupante natural do cargo no Executivo, Francis Lopes (PRP) admitiu que a sua volta à pasta está cada vez mais distante. “Tudo indica que a gente vai ficar na Assembleia, o governador demonstrou a intenção de permanecermos. Ficou de ter uma conversa definitiva nessa semana, mas é 90% de chances de continuarmos na Casa; a responsabilidade ficou comigo”, constatou.

Nisso, o parlamentar desde a posse condicionou para o desejo de conciliar a carreira artística com a política, prerrogativa facilitada no Legislativo Estadual, tal orientação tem sido primordial para a decisão de Lopes. “Na Assembleia foi bem melhor do que na Fundação para conciliar com a carreira de cantor, e a gente viaja despreocupado, apresentamos os projetos e também temos uma equipe nos orientando que ficam trabalhando neles.

Já na Fundação, a demanda era muito grande, pois tinha que receber as autoridades dos municípios constantemente, grupos, associações da área”, impôs.

Nesse ponto, caso a tendência se confirme, Francis negou que abandonará a pauta da cultura, relatando que esse continuará a ser o viés essencial das suas proposições no Poder Legislativo. “Vou lutar e levar para frente o que defendi na minha campanha, independentemente de estar na Assembleia Legislativa ou não”, disse. Sobre o Centro de Tradições Piauienses, o deputado começa a perceber que no momento o projeto é quase inviável, indicando que a situação deve ser bem estudada para que não vire um ‘elefante branco’. “Sentei com o governador para tratar do Centro de Tradições e ele pediu para analisar bem, pois o difícil nem é construir e sim manter. Tem que analisar bem para saber se é viável”, apontou.

Fonte: Francy Teixeira