Geraldo Carvalho visita assentamentos e diz ser contra Transnordestina

No assentamento Saco/Curtume, Carvalho conversou com o assentado e membro da Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Piauí

Para o candidato do PSTU ao Governo estadual, Geraldo Carvalho, a construção de barragens no Rio Parnaíba e projetos como a Ferrovia Transnordestina são prejudiciais para o Estado. O socialista esteve visitando os assentamentos de trabalhadores rurais Marrecas, Lisboa e Saco/Curtume, no município de São João do Piauí, no último fim de semana e destacou que os projetos ?trazem sérias conseqüências ao meio ambiente e afetam diretamente a vida de milhares de famílias de trabalhadores rurais e comunidades tradicionais?.

Geraldo também ressaltou que o PSTU combate o latifúndio e ?luta contra a instalação dos projetos que beneficiam o agronegócio e as empresas mineradoras?. No assentamento Saco/Curtume, Carvalho conversou com o assentado e membro da Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Piauí (Cecoq), Antônio Bispo. Ele afirmou que cerca de 30 comunidades quilombolas e famílias de trabalhadores rurais estariam sendo afetadas pela construção da Transnordestina.

?Há relato de famílias que estão sendo expulsas da terra onde moram e trabalham, recebendo indenizações irrisórias, de 10 reais, por exemplo, para abrir caminho para a Transnordestina?, disse Geraldo. No Marrecas, que foi a primeira ocupação feita pelo Movimento dos Sem-Terra (MST) no Piauí, Geraldo conversou com coordenadores do assentamento, que relataram morosidade na aplicação de créditos da reforma agrária. Em Lisboa, Geraldo visitou assentados e fez panfletagem.

?Estas obras estão vinculadas ao projeto de desenvolvimento implantado pelo governo, que tem o objetivo de beneficiar as grandes empresas e mineradoras, gerando mais concentração de terra e gravíssimos danos ambientais?, frisouGeraldo.(S.B.)

-

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte