Gestores discutem estratégias de atendimento para crianças e adolescentes em situação de rua

As reuniões são continuadas e provém do que já foi constatado há algum tempo, com a presença de menores consumindo e comercializando drogas na zona Sul da capital, faturando com o comércio ilegal.

A Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social (SEMTCAS), junto à 1° Vara da infância e Juventude, realizou reunião com gestores e entidades que trabalham na defesa da criança e adolescente no estado do Piauí e no município de Teresina com o objetivo de discutir e montar estratégias para o atendimento da situação de drogadição de crianças e adolescentes.


“As possibilidades de intervenção da Assistência Social exauriram, então, a gente quer buscar em rede uma solução, ver o que mais pode ser feito, pois é uma situação bastante frágil”, ressalta a chefe de Divisão de Média Complexidade da Semtcas, Kelma Modestina.

As reuniões são continuadas e provém do que já foi constatado há algum tempo, com a presença de menores consumindo e comercializando drogas na zona Sul da capital, faturando com o comércio ilegal.

“Essa já é a segunda reunião realizada para discutir tal problema. Nós chamamos as demais competências, entes que trabalham a favor desse grupo, para discutir o enfrentamento dessa situação, o motim é a da região da Tabuleta, mas a gente resolveu estender para analogicamente ver todos os casos de crianças e adolescentes nessa mesma situação e, inclusive, toda a articulação de atendimento à saúde, visto que não supre a demanda”, explica Kelma.

Na reunião ficou definido que será realizado o levantamento com as informações sobre recursos e programas existentes no município e estado para o atendimento dessas pessoas, e que a Juíza da 1ª Vara da Infância e da Juventude, Maria Luíza de Moura, fará solicitação formal dos encaminhamentos, assim como ficou para ser agendada uma reunião com o corregedor. “A gente quer discutir essa realidade para que possamos vislumbrar possibilidades de atendimento, estabelecendo quais são nossos papéis e até onde podemos ir ao atendimento de crianças e adolescentes, com a finalidade de atender essa situação e encaminhar da melhor forma possível”, finaliza Kelma.

Estiveram presentes na reunião a juíza da 1° Vara da Infância e Juventude, Maria Luíza de Moura, representante do Ministério Público da 1° e 2° varas, Defensorias Públicas, secretários de Assistência Social de Teresina e do Estado do Piauí, Conselhos Tutelares, além de representantes da saúde.

Fonte: Assessoria