Governabilidade está assegurada, diz Wilson Martins

A afirmação foi feita durante entrevista semanal concedida ao programa Conversando com o Governador, da Agência Rádio CCom

O governador Wilson Martins afirmou, na tarde dessa segunda-feira, 12, que a governabilidade está assegurada, como também o equilíbrio das contas, embora no limite da capacidade de investimento do Governo do Estado. A afirmação foi feita durante entrevista semanal concedida ao programa Conversando com o Governador, da Agência Rádio CCom (Coordenadoria de Comunicação Social).

?Nós estamos recebendo o Estado de um governador amigo, do governador Wellington Dias, onde a governabilidade se encontra assegurada, onde o equilíbrio das contas também se encontra assegurado, embora sempre no limite da capacidade de investimento?, declarou. O governador reafirmou a importância do princípio da gestão com responsabilidade, no sentido de atender bem a população, o contribuinte.

Wilson Martins falou sobre a primeira reunião com a equipe de secretários e gestores de primeiro e segundo escalão. Ele destacou ter recomendado a seus auxiliares a manutenção das contas públicas equilibradas, sem despesas não planejadas e dentro do que permite a capacidade de pagamento do Estado. O governador, ainda sobre a reunião com seus auxiliares, relatou ter observado as diferenças entre a atual administração e a do respectivo antecessor.

Custeio controlado

Segundo Wilson Martins, apesar de ter mantido vários auxiliares do ex-governador Wellington Dias e aceitado as indicações dos diferentes partidos que compõem a base governista, a responsabilidade por essas indicações é exclusivamente dele. ?A responsabilidade da indicação é do governador Wilson Martins?, ressaltou. Ele também detalhou as medidas transmitidas à equipe, de modo a controlar, com rigor, as despesas relacionadas a contratações, custeio da máquina, etc.

Os gastos, por exemplo, com a contratação de pessoal terceirizado, locação de veículos, combustível e pagamentos de diárias são aspectos que sofrerão um controle financeiro mais rígido. ?Evidentemente que nós queremos pagar a todos pelo trabalho, pelo extra que tiver que ser feito - é importante que tenha isso -, mas que seja feito de uma forma clara, programada?, explicou o governador, citando também as despesas com a realização de eventos, viagens e telefonia.

De acordo com Wilson Martins, serão mantidos os grandes eventos - já incluídos no calendário turístico do Piauí -, mas o Governo do Estado evitará a multiplicação dessas festas, até para evitar eventuais dificuldades com a Justiça Eleitoral, mais rigorosa em anos eleitorais. Quanto às viagens, o governador acrescentou que os gestores farão somente aquelas consideradas imprescindíveis à gestão pública. Exageros com despesas de telefonia igualmente serão evitados.

Mensagem à Assembleia

Entrega de mensagem

No decorrer do programa Conversando com o Governador, Wilson Martins falou sobre a mensagem enviada nessa segunda-feira, 12, à Assembleia Legislativa, solicitando autorização para contratar empréstimo no valor de R$ 100 milhões. Ele explicou que, em junho de 2009, a Assembleia havia autorizado a execução de uma operação de crédito avaliada em R$ 300 milhões, financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Esses recursos seriam destinados à pavimentação asfáltica de rodovias, mas só foram liberados R$ 200 milhões, sendo que a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) disponibilizou o restante somente neste mês. O governador explicou que esses R$ 100 milhões, cujo pedido de autorização vai tramitar na Assembleia, servirão para reforçar a segurança pública, promover a universalização da internet e realizar obras de drenagem pluvial em vias públicas.

Falando com entusiasmo, Wilson Martins ressaltou o significado do projeto de inclusão digital, que permitirá, em todos os 224 municípios piauienses, o acesso à internet através de conexão tipificada como banda larga, seja em lan-houses, em casa, associações comunitárias, etc. O governador salientou que o acesso à internet poderá ser feito até mesmo nas praças e ruas das cidades menores e distantes do interior.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br