Governador Wilson Martins quer ampliar a execução de PPPs

Governador Wilson Martins quer ampliar a execução de PPPs

Wilson Martins destacou que já agendou reuniões com empresas interessadas em investir no Piauí.

Para incrementar a arrecadação própria, gerando mais empregos no Estado, o governador Wilson Martins (PSB) pretende investir em Parcerias Público- Privadas (PPPs) com empresas de grande porte. ?Estamos tratando de renegociar as dívidas trazendo grandes empresas, como a Suzano, para cá. Os problemas só resolvem com investimentos maciços na indústria de transformação?, frisou Wilson, durante a aula inaugural do semestre no curso de pós-graduação em Ciência Política da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Martins destacou que já possui reuniões agendadas hoje e na próxima semana com empresas interessadas em investir no Piauí. ?São várias empresas. Amanhã tem outra agendada e na próxima semana tem outras. Vamos fazer a PPP na Transcerrados e quem vier e tiver condição de propor parceria vamos trabalhar. A Odebrecht já sinalizou para fazer parceria para as PPPs?, argumentou.

Para driblar as consequências da crise econômica mundial de 2008, Wilson dá a receita: ?Temos que aumentar a arrecadação e diminuir a despesa, cortando gastos e sendo transparente. Reduzi em 50%

os terceirizados e o Estado não parou; reduzi custos e normatizei locação de veículos. Tem dado um resultado bastante positivo. Não tem milagre ou você faz uma gestão como estamos fazendo com metas e resultados ou o dinheiro não rende?, ressaltou.

Na palestra intitulada ?Piauí: Desafios e oportunidades?, o chefe do Executivo estadual destacou os principais polos de desenvolvimento do Estado e os desafios que precisam ser superados na sua atual gestão. O deputado estadual Firmino Filho (PSDB), também compareceu à aula inaugural com estudantes e professores do curso de Ciência Política.

Tanto Wilson como Firmino são professores da Ufpi nas áreas de Medicina e Economia, respectivamente.

O governador lembrou a importância dos investimentos de grande porte do Governo Federal como um dos principais fatores desenvolvedores da região Nordeste. ?Pernambuco avançou centenas de anos e o Ceará também, mas o Piauí perdeu o bonde da história e ficou preso ao benefício para poucas famílias?, disse, acrescentando que o Estado deve saltar do extrativismo para a produção industrial.

?Acumulamos equívocos?, sintetizou. ?Quero dinheiro do Governo Federal para obras de energia eólica, pois temos capacidade testada pela Aneel. Vamos investir em uma usina de biodiesel e a presidente Dilma está trabalhando nesse sentido. Quero uma siderurgia que transforme ferro em aço no Piauí para

agregar valor e a construção da BR-407, que é fundamental e liga Piripiri a Pedro II e Pernambuco. A dívida com o Piauí é grande?, frisou Martins.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte