Governador Wilson Martins revela medidas de combate à seca no PI

“A meta do Governo do Estado é onde estiver com problema de seca iremos resolvê-lo", disse.

O governador Wilson Martins anunciou neste final de semana, durante a inauguração de obras no interior do Estado, as medidas que serão tomadas para o combate à seca, que atinge a região do semiárido piauiense. As medidas foram estabelecidas após reunião com a presidente Dilma Rousseff, em reunião com os governadores do Nordeste, e com o ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho. Dentre as ações a serem tomadas está a disponibilização de linhas de créditos e ações emergências com a distribuição de água por carros-pipas.

As linhas de créditos irão beneficiar o agricultor familiar, que poderá retirar até R$ 12 mil, com juros de 1% ao ano, que poderá ser pago em 10 anos e com carência de cinco anos. Para comerciantes e os agricultores que possuem uma maior produção, o crédito disponibilizado será de até R$ 100 mil, com juros de 3,5% ao ano e com carência de 5 anos.

?Aquele comerciante que fizer os empréstimos poderá suprir as perdas com a estiagem e poderá utilizar o dinheiro como capital de giro. Após a carência, se houver uma nova seca o prazo poderá ser renovado para mais um ano? afirmou o governador.

As cidades que sofrem com a seca terão o seguro safra antecipado. Cada agricultor inscrito no programa receberá R$ 880 distribuídos em cinco parcelas. Os agricultores que não se inscreveram no seguro safra também serão contemplados, através do Programa Bolsa Estiagem no valor de R$ 400 distribuídos em cinco parcelas. Para fazer parte do programa as cidades atingidas pela seca devem ter o decreto de emergência reconhecido pelo Governo Federal. No Piauí, já foram decretadas 59 cidades em situação de emergência.

?A meta do Governo do Estado é onde estiver com problema de seca iremos resolvê-lo. Através de parcerias com os sindicatos e a sociedade civil iremos solucionar esse problema. Estamos preparando, junto com o Governo Federal, todas essas medidas para resolver de vez esse problema.

Onde tiver a necessidade de adutora iremos construir. Iremos abrir todos os poços tubulares que estão fechados na região e, depois de um diagnóstico, verificar onde é necessário novas perfurações?, disse. Para os criadores será feita ainda a venda de milho subsidiado, onde na aquisição de um saco de 30 kg será feito o abatimento de 40% no valor. Cada criador poderá comprar até 30 sacos no valor estabelecido.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte