Zé Filho diz que foi mal interpretado em seu discurso

Zé Filho diz que foi mal interpretado em seu discurso

"Pensam que eu estou falando do governo, mas eu estou no governo!"", disse ele

No poder durante 15 dias por conta de uma viagem de Wilson Martins para o exterior, o governador interino Zé Filho contou que tem sido mal interpretado quanto ao seu discurso por desenvolvimento, quando critica a forma como a política é feita no Estado. "Pensam que eu estou falando do governo, mas eu estou no governo! Eu falo das industrias.", disse ele, que também é o presidente da Fiepi (Federação das Indústrias do Estado do Piauí).

Para o governador, os esforços do governo deveriam estar focados em ajudar a criar condições para a vinda de investimentos que tragam desenvolvimento para o Piauí. "Presidente Dilma garantiu mais uma siderúrgica para o Ceará recentemente, e obras nesse sentido no Maranhão. Temos que conseguir este tipo de obra para cá. Não conseguimos nunca fazer o Porto de Luís Correia", comentou. Outro exemplo que Zé Filho lembrou foi o da fábrica da marca de calçados Grendene, que queria se instalar no Piauí, mas não conseguiu, e foi para Sobral, no Ceará. "Quantas emendas seriam necessárias para dar a Sobral o desenvolvimento que aquela fábrica trouxe?", questionou.

Zé Filho disse que empresários e industriais muitas vezes querem investir no Piauí, mas "dizem que não se consegue trabalhar no Piauí, que aqui tudo é empecilho". O governador se refere a falta de incentivos fiscais e excesso de burocracia. "Se você quiser fazer uma fazenda de camarão em Luís Correia você não consegue. No Ceará ou no Maranhão, você consegue em 30 dias. Aqui, o Ibama aparece, Meio Ambiente, e trava tudo. É claro que temos que preservar, mas temos também que encontrar um jeito", contou.


Governador Zé Filho diz que é mal interpretado em seu discurso por desenvolvimento

"Temos que pensar no Piauí que queremos para daqui há 10 anos, para ter uma política de desenvolvimento bastante ofensiva", disse Zé Filho, que defende uma mudança na forma de se fazer política no Estado, mais desenvolvimentista.

Fonte: Andrê Nascimento