Governo busca consenso no Plano Estadual de Educação

Pauta remanescente do semestre passado, as discussões

Pauta remanescente do semestre passado, as discussões envolvendo o Plano Estadual de Educação (PEE) não se restringirão à audiência pública realizada na última semana. Ciente da importância do debate envolvendo as diretrizes descritas na proposta que norteará os rumos da área ao longo de uma década, o Governo indicou para a busca do esclarecimento em torno das metas com os demais entes sociais, possibilitando a consecução da melhor proposta possível aos piauienses. “O Governo abriu espaço para que seja debatido ponto a ponto do plano e isso vai continuar, mesmo porque o Projeto de Lei, depois de votado na CCJ, irá para a Comissão de Educação e Cultura”, revelou o líder do Governo, João de Deus (PT).

Com tal indicativo, o deputado apontou para a abertura do diálogo com os representantes, oferecendo uma oportunidade para que defendam os pontos que consideram importantes. Nisso, ele ressaltou ainda que é possível um consenso com as entidades visando a aprovação da matéria. Ao todo, o projeto é composto por 20 metas e é embasado pelas disposições já assumidas no Plano Nacional. Nesse âmbito, dentre os principais pontos destaca-se a elevação dos índices de alfabetização dos piauienses e a universalização do atendimento escolar, pautas defendidas tanto em nível federal quanto pela Secretaria liderada pela deputada licenciada, Rejane Dias (PT).

DEFESA - O líder governista, João de Deus, inclusive já explicitou em Plenário os eixos trabalhados pelo PEE, defendendo assim atenção especial à pauta. Em tal detalhamento desponta a elevação da taxa líquida de matrículas no ensino médio para 85% entre os jovens de 15 a 17 anos, abarcando o atual índice constatado. “Atualmente gira em torno de 43,4%”, indicou.

Com esse diagnóstico, o fortalecimento da pauta discorre pela educação básica, visando a construção de uma base poderosa, de modo que haja uma proximidade no nível de ensino com as unidades particulares, permitindo condições parelhas.

Fonte: Francy Teixeira